Artigo-Caso André Luis - Carlos Chagas


 Boa noite queridos auroreamos, como todos nós sabemos o nosso pequeno, é um blog de arquivo de estudos, ARQUIVO.
 Ou seja, não temos postagens diárias aqui e sim estudos e conteúdos fatos para se arquiva, dentro do nosso meio espirita.
O fato que nós pegamos nesses últimos dias é um caso que vem desde muito tempo.
Se André Luiz de Nosso Lar foi Carlos Chagas!
Direto ao assunto e a nossa opinião ; devido a estudos de anos e o que tem na internet também colocaremos logo abaixo a nossa opinião para vocês lerem e tirarem suas próprias conclusões, mais vamos a nossa:
Se analisarmos a vida e história de André Luiz, não bate com a vida e história de Carlos Chagas, porem os que apoiam essa tese é que claramente Chico poderia ter mudado um pouco a vida de André para não se confundir obviamente.

Bom isso é possível, porem em nenhum momento tem uma afirmação de Chico falando sobre isso, temos é relatos de vários médiuns da época afirmando que é, porém, toda via, entretanto nenhuma prova concreta apenas o relato deles assim como Waldo Viera e Hercio Arantes.
Na nossa opinião; são opiniões sem provas, “mas os caras conviveram com chico”, Sim. Porém não tem a prova. (Chico disse, Chico assinou...), não se tem essa prova!!! São apenas relatos de médiuns respeitáveis, sim médiuns respeitáveis, MAIS NÃO SE TEM A PROVA.
Por tanto achamos errado colocar a foto de Carlos Chagas nas mensagens de André Luiz, sem uma prova cabal.
Ainda em vários relatos, lemos assim:
”A família apoiou”, gente cadê esse documento?
“A onde mostra é no Anuário espirita de 2004”, Beleza, Anuários espiritas são apenas um resumo de dados espiritas, dó ano que se passou com espiritas conceituados lá, mas cadê o documento?
Lá vocês encontraram apenas relatos de médiuns conceituados o resumão do ano.
O que queremos dizer queridos Auroreamos, sem desrespeitar ninguém, é que nos tempos de hoje onde tudo que se coloca na net vira verdade, é para lembrarmos de estudar tirarmos nossas próprias conclusões, espiritismo é isso estudo e conhecimento interior e não fulano disse...”pronto é isso”, não é por que o site é grande ou o médium é famoso, que aquilo é verdade, espiritismo é estudo ,Kardec.


-------------------------------------------------------------------------------------
"Dois meios podem servir para fixar as idéias sobre as questões duvidosas: primeiro, é submeter todas as comunicações ao exame severo da razão, do bom senso e da lógica;...o segundo critério da verdade está na concordância do ensino." (Allan Kardec em O que é o Espiritismo - c.2, n. 99)

No livro "Na próxima Dimensão" do Espírito Inácio Ferreira, psicografia de Carlos A. Bacelli, 1ª edição, lemos:
1ª - c.33,p.210,"...mas respondendo-lhe, digo-lhe que é preciso que eu esqueça, assim como não mais me lembro de que, um dia, fui Carlos Chagas, haverei de esquecer de que sou André Luiz..."(sic); e no c.35, p.221, vemos:"...;inclusive o Umbral, onde estive durante uns oito anos,..."';e,
2ª- c.35, p.222, "... inclusive o Umbral onde estive durante uns oito anos...".
Vamos analisar tais passagens à luz da lógica, do bom senso e da razão, seguindo os ensinamentos de Kardec, em epígrafe. Para tanto devemos contextualizá-las em face de dados biográficos de seus dois filhos Evandro e Carlos Chagas Filho; de informações prestadas pelo Espírito Emmanuel, na apresentação do Espírito André Luiz, intitulada Novo Amigo, datada de 03/10/1943 e constante do livro Nosso Lar; de dados e situações narradas pelo Espírito André Luiz nos livros Nosso Lar e Os Mensageiros; e, de informação dada pelo Espírito Irmão Jacob no livro Voltei. Todos os livros psicografados por Francisco Cândido Xavier.
Primeiramente, trataremos de segunda passagem acima referida, considerando-a válida, posto que concordante com a passagem do c.7º de Nosso Lar, onde Lísias diz: "Talvez você (A. Luiz) não saiba ainda que a sua permanência nas esferas inferiores durou mais de oito anos consecutivos".
Em validarmos tal passagem, convém verificar a possibilidade lógico-matemática de ser o Dr. Carlos Chagas o autor espiritual do livro Nosso Lar, conforme dados biográficos dele e cronográficos dos livros Nosso Lar, Os Mensageiros e Voltei, a saber:

A - Falecimento de Carlos Chagas: 08/11/1934;
B - Data da apresentação "Novo Amigo" de Emmanuel: 03/10/1943, livro Nosso Lar;
C - Prefácio de Emmanuel no livro "Os Mensageiros" data ao de 25/02/1944;e,
D - Tempo para a afinização de André Luiz com Chico Xavier: 700 dias consecutivos, livro Voltei, c.1º, confirmado pela carta de Chico Xavier, de 12/10/1946, a Wantuil de Freitas, segundo livro "Testemunhos de Chico Xavier," 1ª Ed. FEB, p. 97-99.
E - Tempo indeterminado entre o resgate de Carlos chagas, Espírito, do Umbral e o início do período de setecentos dias para afinização com Chico Xavier, pois, estando no Umbral teve necessidade de tratamento, recuperação e instrução a fim de se tornar apto ao mister de escritor espiritual.

Se correlacionarmos os dados supra e realizarmos uma adição, desta forma: 08/11/1934 + 8 anos + 1 anos e 11 meses (700dias) + tempo indeterminado = 08/10/1944 + tempo indeterminado, concluímos, pois, pela impossibilidade matemática de o Espírito Carlos Chagas, haver escrito o livro Nosso Lar, cuja conclusão deu-se, no máximo em 03/10/1943, por ser a data quando Emmanuel nos apresentou o Espírito de André Luiz. Acrescente-se que, pelo resultado da soma acima, o livro Os Mensageiros não pode, igualmente, ter sido escrito pelo Dr. Carlos Chagas, tendo em vista a data do prefácio de Emmanuel, para ele, ser 25/02/1944. Se supormos um período de tempo similar para tratamento, recuperação e instrução, do Dr. Carlos Chagas ao descrito por André Luiz em Nosso Lar, o Livro Missionários da Luz, prefácio de Emmanuel de 13/05/1945, também não pode ser da lavra do Dr. Carlos chagas, Espírito; além disso, o livro Obreiros da vida Eterna, prefácio de Emmanuel de 25/03/1946, fica sob suspeita quanto ao seu escritor espiritual.
Há, também, o lado moral a considerar. Vejamos as afirmações de Emmanuel ao apresentar-nos André Luiz:
1) " Embalde os companheiros encarnados procurariam o médico André Luiz nos catálogos da convenção."
" Por vezes o anonimato é filho do legítimo entendimento e do verdadeiro amor."
2) " Entretanto, de há muito desejamos trazer ao nosso circulo espiritual alguém que possa transmitir a outrem o valor da experiência própria, com todos os detalhes possíveis à legítima compreensão da ordem que preside o esforço dos desencarnados laboriosos e bem intencionados." (grifei)
3) " Guarde a experiência dele (André Luiz) no livro d'alma. Ela diz bem alto que não basta à criatura apegar-se à existência humana, mas precisa saber aproveitá-la dignamente;..."(grifei).

Analisando essas assertivas de Emmanuel que, embora o anonimato assumido pelo Espírito comunicante, ao chamar-se André Luiz, ele relata experiências vividas por ele após o seu desencarne, mudando apenas o necessário a preservação do seu anonimato por amor aos seus familiares ainda na carne. Não temos, pela coerência do Espírito Emmanuel, na qualidade de Espírito mentor de Chico Xavier, revelada em seus livros e mensagens, no transcurso da vivência mediúnica do nosso amado Chico, porque duvidar quando ele nos concita a guardar no livro dalma a experiência de André Luiz, seja ele quem for.
Fazendo abstração do fator tempo após o desencarne do Dr. Carlos Chagas, há passagens no livro Nosso Lar, que, em face das assertivas de Emmanuel, de que o Espírito André Luiz falava de experiências próprias, se caracterizam por completa impossibilidade, como a passagem narrada no Capítulo 35 - Encontro Singular, onde André Luiz encontra o Espírito Silveira, antigo devedor de seu pai, ficando constrangido conforme diz: "Queria desculpar-me e todavia não encontrava frases justas, porque, na ocasião, também encorajara meu pai a consumar o iníquo atentado;"... ora Carlos Chagas ficou órfão de pai aos quatro anos de idade e não teria condições de participar, em qualquer hipótese, de negócios de adultos da forma como André Luiz narrou.

Há ainda a questão da família a considerar, Carlos Chagas teve dois filhos: Evandro Chagas que faleceu em 1940, no Rio de Janeiro, de desastre aéreo, e Carlos Chagas Filho, falecido em 2000, Católico, de vida equilibrada, chegando a ser presidente da Academia Pontifícia de Ciências do Vaticano. Ambos foram médicos. Conforme dados que podemos obter na Internet, através dos sites:
a) http://www.etall.hpg.ig.com.br/chagas.htm;
b) http://www.medio.com.br/index.php  pesquise por Carlos Chagas;
c) http://www.coc.fiocruz.br/areas/dad/guia_acervo/index.htm;
d) http://www.coc.fiocruz.br/manguinhos/carlos.htm.
Vemos por esses dados, que, à época da lavra do livro Nosso Lar, a família terrena do Dr. Carlos Chagas se constituía apenas da esposa e de um filho, visto que o outro já havia desencarnado; enquanto André Luiz nos diz que tinha duas filhas e um filho encarnados, quando da sua volta, em Espírito, ao antigo lar.

Há ainda outras análises a serem feitas, mas finalizamos transcrevendo o conselho do Espírito São Luís, constante do nº 266 do Livro dos Médiuns: "Qualquer que seja a confiança legítima que vos inspirem os Espíritos que presidem aos vossos trabalhos, uma recomendação há que nunca será demais repetir e que devereis ter presente sempre na vossa lembrança, quando vos entregais aos vossos estudos: é a de pesar e meditar, é a de submeter ao cadinho da razão mais severa todas as comunicações que receberdes; é a de não deixar de pedir as explicações necessárias a formardes opinião segura, desde que um ponto vos pareça suspeito, duvidoso ou obscuro."

Estudemos Kardec!

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org