Programas que Amamos

Noticias do Meio

chapecoense

Acidente aéreo traz à tona solidariedade e responsabilidade

Enviado em 2 de dezembro de 2016 | Publicado por Juliana Chagas 

O acidente com a delegação da Chapecoense, jornalistas e convidados, na última terça-feira, nos permite ressaltar a capacidade de solidariedade do cidadão.
Na noite da última quarta-feira (30), dia em que seria realizado o primeiro jogo da decisão da Copa Sulamericana, milhares de colombianos lotaram o estádio Atanasio Girardot, do Atlético Nacional, em homenagens às vítimas do acidente aéreo.
O estádio, pertencente ao time que seria o adversário do time de Santa Catarina, com capacidade para 45 mil pessoas, teve todos os seus lugares ocupados sem custos aos torcedores em cerca de meia hora. A mobilização foi tão grande na cidade colombiana de Medellín, que 55 mil pessoas teriam ficado do lado de fora da arena.
Todos os presentes no estádio do Nacional vestiram camisetas brancas, alguns levavam flores e faixas e cartazes em homenagem à Chapecoense. Acompanhados por tambores, os colombianos entoaram a frase “força, Chape”, que tem sido usada como símbolo das condolências por todo o mundo.
Simultaneamente, uma homenagem aconteceu também na Arena Condá, estádio da Chapecoense, que ficou lotada por 20 mil torcedores e simpatizantes do clube catarinense. O movimento foi denominado #1MinutoChape, justamente para que fosse lembrado o instante exato em que a bola rolaria entre os dois times. Às 21:45 foi o momento de ápice da cerimônia, quando os dois estádios fizeram um minuto de silêncio ao mesmo tempo.
O acidente também nos dá oportunidade para refletir sobre responsabilidades.Especialista em acidentes aéreos, o ex-comandante brasileiro Carlos Camacho em entrevista ao programa “Bate Bola” da ESPN, disse que a falta de combustível foi a causa da queda do avião.
Segundo a Doutrina Espírita é importante termos um uso mais construtivo do nosso livre arbítrio, o que nos leva a pensar mais criticamente sobre os fatos que causam desencarnações coletivas, em vez de nos apegarmos a explicações que retiram de nós a responsabilidade sobre os fatos que ocorrem em nossa sociedade.
Fonte: ESPN
Fonte Imagem: Globo.com

Status

Resultado de imagem para status tumblr

“Semente plantada no terreno da ação traz o fruto que lhe corresponde.” Emmanuel

Emmanuel

Emmanuel
Conscientiza-te de que ninguém consegue realizar algo sem o apoio de alguns, competindo-nos a todos adquirir paciência e tolerância de uns para com os outros 

Estudos Nosso Lar

Estudos Nosso Lar
VI. O intercâmbio com o invisível é um movimento sagrado... Que ninguém, todavia, se descuide das necessidades próprias, no lugar que ocupa pela vontade do Senhor. (Emmanuel, prefácio, pág. 11.) 

Um pouco de Chico

Um pouco de Chico
O LADO DIREITO
 Todas as coisas têm seu  lado direito e esquerdo, como temos nossas mãos direita e esquerda. Tudo quanto fazemos com a direita sai mais ou menos certo; com a esquerda, sai mais ou menos errado. Pedro, apóstolo pescador de peixes e de almas, quando pescava no Lago  Genesaré juntamente com outros pescadores, lançava a rede pelo lado  esquerdo e não apanhava nenhum peixe. Apareceu­lhe, então, Jesus e mandou que a lançasse, de novo, mas pelo lado direito, e a rede se rompeu de tanto peixe. Na própria escolha dos premiados, que saem vitoriosos de suas provas, o Mestre os separa dos fracassados, passando os primeiros para a sua direita e os segundos para a esquerda. O lado direito é, pois, o da Justiça, do Bom Combate, do Bom Caminho, da Vereda Certa, da Vida Verdadeira, da Verdade mesma. Assim conversávamos com o Chico, em caminho da Fazenda do M. da Agricultura, em Pedro Leopoldo, quando o Médium conclui: — O lado direito é o lado de Deus. O esquerdo o de César. O primeiro é o dos que vivem com Deus, cumprindo­lhe a Lei. O segundo é o dos que estão apenas vivendo para o mundo e desejando o muito sem Deus.  

Aconteceu no Dia

Começam as gravações de do álbum Sgt. Pepper's, dos Beatles

03-12-1966
Em um dia como este, no ano de 1966, os Beatles davam início às gravações do álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, no Estúdio Abbey Road, em Londres. Era o oitavo álbum do quarteto inglês, que abandonava de vez o seu jeito "queridinho" de meninos para se transformarem em artistas maduros. Depois de 129 dias de gravação em aproximadamente 700 horas, o disco foi lançado no Reino Unido, no dia 1o de junho de 1967.
Sgt. Pepper's é frequentemente citado como o primeiro "álbum-conceito", que inspirou outros grupos pops da época a fazerem o mesmo, desde 
Rolling Stones e Beach Boys, até Stevie Wonder e Marvin Gaye, para alcançar novos patamares de criatividade. Em 2003, a revista Rolling Stone colocou o disco no primeiro lugar de uma lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.
Para os Beatles, o álbum representou não somente um ápice de criatividade, mas também um período de três anos nos quais eles lançaram nada menos do que cinco novos álbuns de estúdio, incluindo dois - The Beatles (também chamado de Álbum Branco, 1968) e Abbey Road (1969) - que ocuparam o 10o. e o 14o. lugares, respectivamente, de "melhores álbuns de todos os tempos" em um ranking da revista Rolling Stone. Ainda no Top 15 desta lista da revista estão Rubber Soul (1965), no 5o. lugar; Revolver (1966), em 3o.

Momento Espirita

Momento Espírita

Ante as horas vazias

Era sempre assim. O menino chegava na casa da avó e corria a pedir-lhe a bênção.
E, logo, vinha a pergunta: E, então, meu filho, o que anda fazendo?
Dando de ombros, o pequeno respondia depressa, como quem não quer ficar a dar explicações ou pensar no que deveria dizer: Nada!
Naquele momento, repetia sempre a boa senhora: É preciso ocupar bem o tempo. Deus nos deu as mãos e a mente para que as ocupássemos em coisas boas, o tempo todo.
Pouco ou nada entendia o garoto, na época.
Porém, anos passados, aquela advertência passou a soar como sabedoria. E, certo dia, encontrou em um livro uma pequena mensagem que veio ao encontro daqueles ensinamentos:
Cuidado com a hora vazia, sem objetivo, sem atividade.
Cabeça ociosa é perigo à vista.
Mãos desocupadas facultam o desequilíbrio que se instala.
Grandes males são maquinados quando se dispõe de espaço mental em aberto.
Só então percebeu ele que quando nada se faz, o pensamento trabalha intensamente e quase sempre, o resultado são coisas tolas, inúteis...
*   *   *
Muitos de nós estamos envolvidos com tantas atividades que registramos o tempo a passar de forma muito rápida, como se estivesse a escapar por entre os dedos.
Mas, enorme ainda é o número dos que não empregam bem o tempo que têm, e até dizem que ele demora para passar.
E outros afirmam que há que se descansar também porque ninguém é de ferro.
Perfeitamente aceitável que o corpo necessite de repouso. Não foi por outro motivo que a Divindade instituiu que o corpo repouse, após certo período de trabalho, a fim de se recompor.
Descanso, no entanto, pode se dar de várias formas. Podemos descansar, alternando atividades.
Cansados fisicamente, podemos atender ao descanso dedicando-nos às artes, à escrita, algo que nos refaça.
Cansados mentalmente, podemos descansar realizando um trabalho físico: passear com as crianças, cultivar uma planta, brincar com o animalzinho de estimação, praticar esportes, varrer o quintal, lavar o carro.
Se surge uma hora vazia, no decorrer do dia, é saudável que a preenchamos com uma conversação ou atividade positiva.
Importante, no entanto, que seja algo que nos dê prazer, que nos enriqueça: o curso de um idioma diferente, o aprendizado de algo novo, o ensaio para uma habilidade manual...
E o que dizer de empregarmos esse tempo vazio ofertando-o em atividade voluntária, em benefício de algo ou de alguém?
Há tantos que aguardam uma mão amiga, um consolo, uma companhia, um esclarecimento.
Importante organizarmos uma lista de atividades do que desejamos realizar, para pormos em prática nas horas vazias.
Dessa forma essas horas passarão a nos enriquecer de tesouros de alegria e de paz.
Muitos males enfrentados nos dias atuais são reflexos da má distribuição do tempo que dispomos.
Valorizemos nossas horas. Enriqueçamos nossas vidas.
 Redação do Momento Espírita, com pensamentos extraídos do
 cap.8, do livro 
Episódios diários, pelo Espírito Joanna de Ângelis,
 psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL.
Em 3.12.2016.

Momento Espirita

Momento Espírita
A surpreendente morte

Ela sempre chega em momento inoportuno. Não a convidamos mas ela comparece, quando e onde bem entende.
Ela estabelece o seu calendário de visitas, totalmente aleatório aos nossos olhos mortais. Mas preciso, totalmente concorde com a Lei Divina, em cada detalhe.
Somente os que não estejam em equilíbrio mental é que a evocam, desejando-lhe a presença.
Todos os demais preferimos deixar para mais tarde, mais tarde...
É a morte, essa não desejada presença.
Ela dilacera corações plenos de esperança e nos leva a perguntar: Por quê? Por que agora? Por que com minha família?
Assim foi com a família Camargos. Na cidade de Natal, no Nordeste brasileiro, no dia doze de janeiro, a pequena Giovanna fazia seis anos.
Festa de aniversário. Tudo pronto para a comemoração. Pouco antes das oito horas da noite, a família só aguardava o telefonema do pai da menina, para a comemoração.
Ele integrava a missão de paz do exército brasileiro no Haiti. E ele adorava seu trabalho. O único senão eram as saudades da família: a mulher e dois filhos.
Seu retorno ao Brasil estava marcado para o dia vinte e oito. E ele dizia para a esposa que ela acabaria ficando enjoada dele, porque passariam o tempo todo juntos.
Veio o telefonema, ele falou com Giovanna. E a esposa pediu que ele ficasse um pouco mais na linha para cantar o Parabéns pra você.
Mas, de repente, a conexão do skype caiu. Ela tentou ligar de volta. Sem êxito. A festa continuou.
No dia seguinte, o cunhado ligou para saber notícias de Raniel.
Está bem, informou Heloísa. Conversamos ontem à noite.
Ela não sabia do terremoto e, ao tomar conhecimento, se deu conta que fora a hora em que conversara com seu marido.
Na mesma tarde, um telefonema do batalhão onde Raniel servia, confirmou para a família que ele fora uma das vítimas do terremoto no Haiti.
Embora a tristeza, Heloísa diria mais tarde:
O que me consola é que Raniel morreu fazendo o que sempre quis: ajudar os necessitados e servir ao seu país.
Ele morreu como um herói.
As palavras da esposa traduzem o sentimento sublimado do amor. Ela sabia que o marido amava o seu trabalho, no exército brasileiro.
A saudade é grande. Os filhos perguntam pelo pai e terão que se habituar à sua ausência física.
Mas, eles terão a presença do ser amado em suas vidas nas doces lembranças, no telefonema de aniversário, nos sonhos...
Para essa família, como para todos os que cremos na Imortalidade, existe a certeza de que o subtenente Raniel somente abandonou o casulo de carne.
Ele prossegue vivendo e amando, na Espiritualidade.
Que esse exemplo de serenidade nos possa servir.
Preparemo-nos. Quando a morte chegar, de inopino, rompendo nossos mais acalentados planos, pensemos: Foi só um adiamento de tudo que planejamos. Logo mais tornaremos a estar juntos.
Redação do Momento Espírita, com base no artigo
 
Heróis no Haiti (O soldado), da Revista Seleções
 Reader’s Digest, de abril de 2010.
Em 25.11.2016.

Emmanuel

Necessário reconhecer que te encontras na condição certa e com as criaturas mais adequadas para a tarefa a cumprir. 

Um pouco de Chico

PALAVRAS AOS ENFERMOS
 Os doentes eram tantos em Pedro Leopoldo, noite a noite, que o Espírito de Néio Lúcio, compadecendo­se dos sofredores, endereçou­lhes a mensagem que transcrevemos abaixo: “Palavras aos Enfermos” Toda enfermidade do  corpo  é  processo  educativo  para a alma. Receber, porém, a visitação benéfica entre manifestações de revolta é o mesmo que recusar as vantagens da lição, rasgando o livro que no­la transmite. A dor física, pacientemente suportada, é  golpe de buril divino, realizando  o  aperfeiçoamento espiritual. Tenho encontrado companheiros a irradiarem sublime luz do peito, como se guardassem lâmpadas acesas dentro do tórax. Em maior parte, são irmãos que aceitaram, com serenidade, as  dores longas que a Providência lhes endereçou, a benefício deles mesmos. Em compensação, tenho sido  defrontado  por grande número  de ex­tuberculosos  e exleprosos, em lamentável posição  de desequilíbrio, afundados muitos  deles  em charcos de treva, porque a moléstia lhes constituiu tão somente motivo à insubmissão. O doente  desesperado  é sempre digno  de piedade, porque não  existe sofrimento sem finalidade de purificação e elevação. A enfermidade ligeira é aviso. A queda violenta das forças é advertência. A doença prolongada é sempre renovação de caminho para o bem. Amoléstia incurável no corpo é reajustamento da alma eterna. Todos  os  padecimentos  da carne se convertem, com o tempo, em claridade interior, quando  o  enfermo sabe manter a paciência, aceitando  o  trabalho  regenerativo  por bênção da Infinita Bondade. Quem sustenta a calma e a fé, nos dias de aflição, encontrará a paz com brevidade e  segurança, porque a dor, em todas as ocasiões, é a serva bendita de Deus, que nos procura, em nome dele a fim de levar a efeito, dentro de nós, o serviço da perfeição que ainda não sabemos  realizar.  Néio Lúcio

Estudos Nosso Lar

V. O homem terrestre não é um deserdado. É filho de Deus, em trabalho construtivo, aluno de escola benemérita, onde precisa aprender a elevar-se. A luta humana é a sua oportunidade, a sua ferramenta, o seu livro. (Emmanuel, prefácio, pág. 11.) 

Aconteceu no Dia

Morre o locutor Lombardi, do Sílvio Santos

02-12-2009
Ele ficou conhecido do grande público por causa da sua voz no programa do Silvio Santos, com quem trabalhou por mais de 40 anos. O rosto de Luís Lombardi Neto não era muito conhecido, porém muitos sabiam o seu nome. Ele morreu em um dia como este, no ano de 2009, em Santo André (SP), aos 69 anos. O locutor sofreu um infarto agudo e foi encontrado sem vida pela esposa, pela manhã. Silvio Santos, após saber do falecimento de seu amigo, interrompeu a gravação de um programa especial de Ano Novo, mas voltou aos trabalhos em respeito a Lombardi e à plateia.
Lombardi nasceu no dia 22 de dezembro de 1940, em São Paulo, e cresceu no bairro do Bixiga. Ele começou sua carreira de locutor na TV Paulista, atual TV Globo São Paulo, onde conheceu Silvio Santos. Depois de 15 anos, deixou a emissora para seguir com Silvio Santos, que estava abrindo a sua própria televisão. Na época de sua morte, Lombardi apresentava um programa em uma estação de rádio de Santo André.

Status


 “Sempre há tempo de recomeçar.” André Luiz

Programas que Amamos

Noticias do meio

A Fé, sempre uma aliada aos tratamentos de doenças

Enviado em 1 de dezembro de 2016 | Publicado por Juliana Chagas 

religiao1Já nos disse Jesus, “se tua fé for do tamanho de um grão de mostarda e dizer para esta montanha se transpor daqui para ali, ela irá”.
Pesquisas feitas com vários médicos nos principais hospitais e universidades em todo os EUA mostraram conclusivamente que a crença em Deus é realmente boa para uma pessoa, fazendo-a mais saudável e feliz, e também contribui para uma vida mais longa. Conclui-se então a que a fé é um aliado ao tratamento das doenças.
Uma recente matéria recente da Revista Galileu mostrou que as Igrejas Pentecostais tem incentivado os fiéis a abandonar tratamento médico.
A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo não tem estatísticas que apresentem a quantidade de pacientes que abandonaram o tratamento ou os motivos para essas desistências. Porém em visita a 12 unidades de saúde em diferentes regiões da capital, a reportagem ouviu pelo menos sete delas relatos de médicos, enfermeiros e agentes de saúde que já lidaram com situações semelhantes.
Em entrevista a Revista Galileu, Alexandre Moreira Almeida, professor de Psiquiatria da Universidade Federal de Juiz de Fora, disse que “muitas vezes, não é o líder religioso que orienta a abandonar o tratamento é o próprio paciente que, em um processo de negação de sua doença, negligencia os cuidados médicos”.
Recentemente, a Associação Mundial de Psiquiatria declarou a importância de incluir o assunto no ensino, pesquisa e prática clínica. Pela promoção de comportamentos saudáveis e pelo fato de que o envolvimento religioso pode ocasionar a diminuição de hormônios de estresse e o melhor funcionamento imunológico.
Fonte: Revista Galileu
Fonte Imagens: freeimages.com

Emmanuel

Agitações na Terra. Tempos de transição. Dificuldades de entendimento. Impactos do progresso. Conflitos de gerações. Estes são os motivos apresentados por muitos amigos para que lhes enderecemos algumas páginas sobre serenidade e segurança, já que a vida não nos permite parar, nem no Plano Físico, nem no Mais Além. *** Realmente, a evolução não se interrompe. Sofrendo ou aprendendo, criando ou recriando, melhorando ou renovando, errando ou reajustando, toda criatura prosseguirá sempre, em demanda aos objetivos supremos da Sabedoria Divina. De qualquer modo, porém, e seja qual for o ponto do Universo em que se lhe ergue a moradia, o espírito necessita de paz em si mesmo, a fim de construir o seu próprio caminho para outros caminhos de elevação. Desses raciocínios nasceu este livro que entregamos ao leitor amigo, desejando-lhe harmonia e confiança em Deus, na edificação da felicidade que aspiramos a conquistar. *** "Calma" é a legenda que nos define o volume despretensioso. Que semelhante benção possa fortalecer-nos a todos, em meio dos obstáculos e embates, dificuldades e provas com que, porventura, sejamos defrontados em nossa marcha para o Amanhã Sempre Melhor, com o apoio de Jesus, o Mestre e Senhor, são os nossos votos. Emmanuel (Uberaba, 17 de novembro de 1978) 

Um pouco de Chico

UM RELÓGIO AO DOENTE 
Um confrade presenteou  o Chico com um belo relógio de pulso. Aceitou ­o, porque o  confrade insistiu muito. Andou vários dias com ele, admirando ­lhe a pontualidade. Mas um dia, a caminho do serviço, lembrou­ se de saber, rapidamente, como ia Dona Glória, a quem na véspera dera um passe e para quem Bezerra receitara uns remédios homeopáticos. — Então, está melhor, Dona Glória. Tomou pontualmente os remédios? —  Um pouco melhor, Chico. Só não tenho tomado os remédios com pontualidade, porque, como você sabe, sou pobre e ainda não pude comprar um relógio... — Por isto não. E tirando do pulso o relógio que ganhara, disse ­lhe sem mais delongas: — Fique com este como lembrança. E deixando a irmã surpresa e emocionada, o médium partiu, dizendo­ lhe na costumeira despedida: — Fique com Deus! Deus a proteja!  Como a senhora está precisando de relógio, este deve ser seu. 

Estudos Nosso Lar



IV. É indispensável cogitar do conhecimento de nossos infinitos potenciais, aplicando-os, por nossa vez, nos serviços do bem. (Emmanuel, prefácio, pág. 10.)

Momento Espirita

Momento Espírita
Mãe, eis aí o teu filho

Ela era jovem, na flor da idade. Fora desposada por José, que a acolhera em fidelidade e amor. Numa tarde singela, após os seus afazeres, como num sonho, recebeu a visita de um mensageiro celeste.
Ave, cheia de graça, retumbou a voz angélica. Deseja nosso Pai que recebas, em teus braços, o Seu filho.
Maria teve um leve sobressalto. Mas redarguiu: Faça-se em mim, pobre serva, a vontade do meu Deus.
Os meses correram ligeiros. Em difícil viagem, José e Maria se dirigiram a Belém. Numa estrebaria simples, em meio aos animais, nasceu o Filho do Altíssimo e, numa manjedoura, foi acomodado.
A seu tempo, Maria viu o seu Jesus falar e caminhar, contou-lhe histórias, dEle cuidou. Porém, próximo aos trinta anos, Ele partiu. Chegara a hora de cuidar dos negócios do Pai Maior.
Doze amigos se uniram a Ele e, ao Seu lado, se puseram a caminhar. Maria ouvia rumores de que, na presença de seu filho, cegos voltavam a ver; surdos a ouvir e até aquele que era considerado morto, tornara a se levantar.
Seu coração de mãe enchia-se de temores. Os orgulhosos ressentiam-se daquilo que ensinava Jesus: o amor ao próximo, o perdão das ofensas. Lições nem sempre compreendidas, mas que transbordavam o mundo de luz.
Ensinando, doando-se, servindo, o Cristo semeava a paz. Quando Ele a visitava, Maria indagava: Que fazes, meu filho? E Jesus, terno e carinhoso: Eu cuido dos negócios de meu Pai.
*   *   *
Numa noite de angústias, João trouxe à mãe do Mestre o doloroso aviso: Acusam-no de colocar-se contra a ordem estabelecida.
Num julgamento injusto, foi condenado e ainda teve a multidão a gritar por Sua morte e pela soltura do celerado Barrabás.
Mulher, eis aí o teu filho. Filho, eis aí a tua mãe. Aos pés do filho crucificado, Maria recebe a Divina missão: ser nossa mãe, mãe de toda a Humanidade.
Mãe do Cristo, mãe de todos nós. Que por seu exemplo nos aproximemos de Jesus e possamos ouvir a sua voz.
*   *   *
É Natal. Ajustemos a acústica da alma para que ouçamos as vozes celestes a cantar: Glória a Deus nas alturas. Paz na Terra. Boa vontade para com os homens.
Contemplemos o Menino Luz que chega ao mundo para nos iluminar a jornada e para nos ensinar a chamar Deus de Pai.
Unamo-nos a Maria, a senhora do silêncio e da fé.
Junto a ela, recebamos Jesus na manjedoura de nossos corações.
Tudo para que o Natal se faça celebração íntima, na qual nos encontremos com o Cristo descrucificado, e presente na vida daqueles que O seguimos.
Presente na vida daqueles que O desconhecem. Daqueles que sofrem, dos que temem, dos que sentem fome, dos adoentados, dos que, arrependidos, buscam no olhar do Mestre o recomeço...
*   *   *
A Mãe Santíssima compreendeu a sua missão ao contemplar os olhos de seu filho.
A exemplo de Maria, busquemos o olhar de Jesus, a fim de atendermos ao seu convite: Ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo.
Redação do Momento Espírita.
Em 1.12.2016

Aconteceu no dia

Questão do Amapá: Brasil vence disputa por limites com a França

01-12-1900
O problema em relação à fronteira entre o território do Brasil e a Guiana Francesa se arrastava por séculos. A França não reconhecia o rio Oiapoque como limite entre a Guiana e o Amapá, reivindicando para si parte do território no Amapá, ao sul do rio. Contudo, o Tratado de Utrecht, 
assinado em 1713, pela França e por Portugal, estabelecia o Oiapoque como fronteira entre os dois reinos na América do Sul. Desta maneira, o Brasil, como "herdeiro do Império Português", alegava que tinha direito sobre as terras ao sul do rio. Esta disputa territorial ficou conhecida como "Questão do Amapá".
A situação se agravou a partir de 1895, quando tropas francesas invadiram o território brasileiro até ao rio Araguari, apropriando-se de aproximadamente 260 mil km². A questão necessitou de uma arbitragem internacional na Suíça. O Brasil enviou o Barão de Rio Branco para resolver o problema, já que ele também havia liderado a comitiva que venceu uma questão territorial com a Argentina. A equipe brasileira foi bem preparada, enquanto a França enviou diplomatas com pouco conhecimento, já que estava mais interessada na colonização da África. Desta maneira, no dia 1 de dezembro de 1900, o tribunal na Suíça expediu a decisão favorável ao Brasil. Como resultado, o país incorporou 260 mil km² ao seu território.

Programas que Amamos

Noticias do Meio

chapecoense

Acidente entra para a lista das tragédias aéreas

Enviado em 29 de novembro de 2016 | Publicado por Juliana Chagas 

Nesta terça-feira, um acidente deixou  71 mortos, na Colômbia, entre eles a delegação da equipe da Chapecoense, que jogaria nesta quarta-feira, em Medellín, a primeira partida da final da Copa Sul-americana.
Das 81 pessoas na aeronave, 72 eram passageiros e nove tripulantes. A delegação da equipe catarinense tinha 48 integrantes, além de dois convidados e 21 jornalistas.
Foram confirmados seis sobreviventes, são eles: a comissária de voo Ximena Suárez, o técnico da aeronave Erwin Tumiri, o jornalista Rafael Valmorbida e os jogadores: Alan Ruschel, Jackson Follmann e Neto.
Ao longo da história, ocorreram outros acidentes envolvendo delegações de esportes.
Em 1949 a equipe do Torino de Turim, era o campeão da Itália, retornava de um jogo amistoso em Portugal, o avião que levava os craques caiu fazendo 31 mortos, entre eles 18 jogadores.
Uma década depois em 1958 o Manchester United, bicampeão da Inglaterra e se classificando para a semifinal da Copa da Europa, estava em um avião de retorno de uma partida em Belgrado. Por conta do excesso de neve, após algumas tentativas para decolar o jato acabou batendo em um muro. Vinte pessoas que estavam à bordo, entre eles oito jogadores, morreram.
Em 1987 o Alianza Lima perdeu todos os jogadores, incluindo a comissão técnica, no acidente aéreo ocorreu em Lima. A delegação tinha quarenta e três pessoas – o piloto Edilberto Villar Molina foi o único sobrevivente.
Em 1993 o Zâmbia disputava um lugar na Copa do Mundo e, para chegar até o evento, teria de bater o Senegal num jogo em Dakar, capital senegalesa. Um avião militar levou o time africano ao confronto, mas a aeronave se incendiou e todos os jogadores da seleção morreram. Trinta pessoas não sobreviveram à queda, incluindo 18 jogadores e a comissão técnica da seleção.
No Brasil
Em 1990 um acidente entre micro-ônibus e caminhão dizimou o time de gateball de Registro (SP), somente uma pessoa sobreviveu.
Em 1997 o acidente com o ônibus da Ginástica Artística do Flamengo causou a morte de 6 pessoas, 15 ficaram feridas. Nenhuma ginasta morreu.
No ano 2000 quatro nadadores morreram em acidente de trânsito no Rio de Janeiro.
Em 2005 o choque entre dois ônibus no Paraná matou 8, incluíndo o técnico e 4 atletas do handebol de juniores de Chapecó (SC).

A visão Espírita

Se levarmos o ocorrido somente para a conta das causas espirituais sem apurar as responsabilidades do homem encarnado, é minimizar a providência Divina.
Devemos lembrar que o Espiritismo é o estudo, o entendimento e a prática dos princípios fundamentais da Doutrina.
Portanto deve estar em constante movimento evolutivo através da sua própria revisão.
Kardec aconselha a todos que sofrem, a interrogar a própria consciência, procurando saber, de verdade, se esse sofrimento não foi provocado, bem na sua origem, por eles mesmos, quando ao invés de agirem de um modo o fizeram de outro não adequado, dando origem à vicissitude atual.
Somos responsáveis por tudo que sentimos, pensamos e fazemos.
Quem já se conscientizou desta verdade, não pode mais agir e reagir, aleatoriamente, ao sabor das circunstâncias e das suas imperfeições.
Fonte: Jornal O Estado de São Paulo

Noticias do Meio

Brasileiras criam projeto sustentável que absorve óleo do mar

Enviado em 29 de novembro de 2016 | Publicado por Juliana Chagas 

As alunas Núbia Marques da Silva e Aline Faustino Soares, do curso Técnico de Logístia Reversa da ETC, Escola Técnica Estadual de Caraguatatuba, do litoral de São Paulo, criaram uma solução inovadora e sustentável para remover vazamentos de óleo do mar.
Elas criaram um produto que absorve o óleo do mar e que usa a casca do coco como matéria-prima.
Em uma visita técnica ao Porto de São Sebastião as alunas conheceram a turfa canadense, um pó usado para absorver o óleo que os navios despejam nos oceanos. As estudantes descobriram ainda que com a junção da fibra com penas de aves o resultado seria ainda melhor.
A biomassa gerada após o contato com o óleo também ajuda o meio ambiente, porque pode substituir o uso do carvão e até mesmo ser usada em usinas geradoras de energia.
Fonte: Só Notícia Boa

Emmanuel

Em qualquer degrau da evolução, podes instalar-te no lugar próprio à criação de tuas próprias alegrias.

Um pouco de Chico

A ÁGUA DA PAZ 
Em torno da mediunidade, improvisam-se, ao redor do Chico, acesas discussões. É, não é. Viu, não viu. E o médium sofria, por vezes, longas irritações, a fim de explicar sem ser compreendido. Por isso, à hora da prece, achava-­se quase sempre, desanimado e aflito. Certa feita, o Espírito de Dona Maria João de Deus compareceu e aconselhou-lhe: — Meu filho, para curar essas inquietações você deve usar a Água da Paz. O Médium, satisfeito, procurou o medicamento em todas as farmácias de Pedro Leopoldo. Não o encontrou. Recorreu  a Belo Horizonte. Nada. Ao fim de duas semanas, comunicou  à progenitora desencarnada o fracasso da busca. Dona Maria sorriu e informou: —  Não precisa viajar em semelhante procura. Você poderá obter o remédio em casa mesmo. A Água da Paz pode ser a água do pote. Quando alguém lhe trouxer provocações com a palavra, beba um pouco  de água pura e conserve ­a na boca. Não a lance fora, nem a engula. Enquanto perdurar a tentação de responder, guarde a água da paz, banhando a língua. O Médium baixou, então, os olhos, desapontado. Compreendera que a mãezinha lhe chamava o espírito à lição da humildade e do silêncio.  

Estudos Nosso Lar

III. O Espiritismo ganha dilatada expressão numérica. Milhares de criaturas interessam-se pelos seus trabalhos, modalidades, experiências. Nesse campo imenso de novidades, todavia, não deve o homem descurar de si mesmo. (Emmanuel, prefácio, pág. 10.) 

Momento Espirita

Momento Espírita
Seja feliz
Eis uma ordem preciosa: seja feliz! Quantas vezes dizemos isso uns aos outros, desejando, intensamente, que se torne realidade?
Em verdade, cada um de nós deveria ter como meta, em sua vida, ser feliz.
Quase sempre, criamos infelicidade para nós mesmos, através de nossas atitudes.
E, no entanto, nunca se falou tanto, como na atualidade, em ser feliz, em conquistar valores positivos. Parece ser a tônica do momento.
Parece que as pessoas estão descobrindo o propósito da Divindade para conosco.
O mundo não é um local onde nascemos para sofrer, embora o sofrimento possa fazer parte de nossas vidas.
Não é um local onde viemos somente para nos esfalfarmos em conquistas materiais, mesmo que necessitemos trabalhar para nos sustentarmos, para adquirirmos certo conforto.
O importante é se ter a certeza que podemos melhorar muito nossa qualidade de vida, se desejarmos.
Vejamos algumas dicas.
Não se preocupe em demasia. Quem se estressa o tempo todo, pode desencadear problemas cardíacos. E não consegue ver o lado bom das coisas.
Concentre-se e termine. Isto é, faça uma coisa de cada vez. Termine uma tarefa e depois passe para a seguinte.
Não queira fazer muitas coisas ao mesmo tempo.
O Mestre de Nazaré, há mais de dois milênios, prescreveu que a cada dia bastam as suas próprias preocupações.
Mande a raiva embora. Ela faz as artérias se contraírem, a taxa de batimentos cardíacos disparar e deixa o sangue mais grosso e fácil de coagular.
Quando tiver que enfrentar alguma situação exasperante, conte até dez. Isso faz o cérebro passar da emoção para o pensamento racional.
Respire fundo. Pense e não reaja.
A Sabedoria Nazarena prescrevia que perdoássemos aos nossos inimigos.
Cuide do lado espiritual. Você pode participar de determinada religião, exercitar a sua fé. Ou pode meditar, passar algum tempo sozinho, prestar serviços a uma boa causa.
Lecionava Jesus: Amai o vosso próximo como a vós mesmos.
Controle as imagens do cérebro. Não exagere nas observações e não alimente ideias negativas.
Não alimente a sua carga emocional com pensamentos como: Esse emprego vai me matar.
Sorria. Ria. Ouça música alegre. Isso relaxa os vasos sanguíneos e aumenta o fluxo do sangue. Seu corpo se sentirá melhor.
Recomendava o Nazareno: Alegrai-vos...
Alimente a sua mente com coisas positivas. Escolha leituras que lhe façam bem, que o motivem à serenidade, a reflexões altruístas.
Sábio foi o Mestre Jesus nos conclamando a que tivéssemos vida e vida em abundância. Isto quer dizer, qualidade de vida, que contempla o espiritual, o emocional, o físico.
Pensemos nisso e alteremos nossa forma de nos conduzir nesta Terra. Em pouco tempo, sentir-nos-emos mais leves, felizes, tudo olhando com as lentes positivas de quem está disposto a contribuir para a paz do mundo que, sempre, começa na nossa própria intimidade.
Redação do Momento Espírita, com dicas 
extraídas do artigo 
Um coração saudável em meia hora,
 da Revista 
Seleções Reader’s Digest, de abril de 2010.
Em 30.11.2016.

Aconteceu no dia

Lançado Thriller, do Michael Jackson, o disco mais vendido da história

30-11-1982
O disco mais vendido da história era lançado em um dia como hoje, no ano de 1982. "Thriller", sexto álbum de estúdio de Michael Jackson, foi lançado 
pela Epic Records na sequência do sucesso de crítica e público que o músico havia conquistado com Off the Wall. As sessões para a gravação de Thriller ocorreram entre abril e novembro de 1982, em Los Angeles, com um orçamento de produção de US$ 750 mil, obtidos pelo produtor Quincy Jones. Das nove músicas do álbum, quatro delas foram escritas por Michael Jackson. Sete singles do álbum entraram para o top 10 das paradas de sucesso e três ganharam uma versão em videoclipe.
Atualmente, Thriller ainda segue como o álbum mais vendido de todos os tempos, com fontes variadas que apontam números entre 51 e 65 milhões de cópias. O disco também ganhou um número recorde de oito prêmios Grammy em 1984, incluindo o álbum do ano. Thriller permitiu que o Rei do Pop derrubasse algumas barreiras raciais que existiam na música popular com suas aparições na MTV e também pelo encontro com o presidente dos EUA, Ronald Reagan, na Casa Branca. O álbum também foi o primeiro a usar os videoclipes como ferramentas de promoção musical - "Thriller", "Billie Jean", e "Beat It" eram regularmente exibidos na MTV.

Programas que Amamos

Emmanuel

Não digas que a Terra é um mundo exclusivamente de provações. 

Um pouco de Chico

Saldo  Extra 
O homem comum, em todas as latitudes da Terra, guarda, habitualmente, o mesmo padrão de atividade normal. Alimenta-­se. Veste­-se. Descansa. Dorme. Pensa. Fala. Grita. Procria. Indaga. Pede. Reclama. Agita­-se. Em suma, consome e, muitas vezes, usurpa a vitalidade dos reinos que se lhe revelam inferiores. É o serviço da evolução. Para isso, concede-lhe o Senhor grande quota de tempo. Cada semana de serviço  útil, considerada em seis dias ativos, é constituída de 144  horas, das quais as criaturas mais excepcionalmente consagradas à responsabilidade gastam 48 em trabalho regular. Nessa curiosa balança, a mente encarnada recebe um saldo  de 96  horas, em seis dias, relativamente ao qual raríssimas pessoas guardam noção de consciência. Por semelhante motivo, a sementeira gratuita da fraternidade e da luz, para o seguidor de Cristo se reveste de especial significação.  Enorme saldo de tempo exige avultado serviço extra. Em razão disso, às portas da Vida Eterna, quando a alma do aprendiz, no  exame de aproveitamento  além da morte, alega cansaço  e se reporta aos trabalhos triviais que desenvolveu  no  mundo, a palavra do  Senhor sempre interrogará, inquebrantável e firme: —“Que fizeste de mais?”  André Luiz 

Estudos Nosso Lar

II. Todo leitor precisa analisar o que lê. (Emmanuel, prefácio, pág. 10.)

Momento Espirita

Momento Espírita
Do outro lado
No consultório, o homem muito doente perguntou ao médico:
Doutor, o que existe do outro lado da vida?
O médico olhou seu paciente nos olhos, repousou a caneta sobre a mesa, cruzou os braços e respondeu calmamente:
Eu não sei!
Como não sabe? – Falou exasperado o paciente. Eu vou morrer, não sei o que existe do outro lado e o senhor me fala com esta tranquilidade?
Neste momento, ganidos se fizeram ouvir do lado de fora da porta. Logo em seguida, arranhões na madeira.
O médico se levantou, foi até a porta e a abriu. Um belo cão saltou feliz, nos braços do dono.
Agitava a cauda, lambia o médico, manifestando a sua alegria.
Então, o profissional atencioso olhou para o homem desolado e lhe disse:
Você viu o que fez este cão? Ele nunca estivera aqui, antes. No entanto, ele entrou na sala confiante, alegre, tão logo lhe foi aberta a porta.
E sabe por quê? Porque ele sabia que nesta sala estava seu dono.
Eu também. Não sei o que existe do outro lado da vida. Mas de uma coisa eu tenho certeza: o meu Senhor estará lá! Então, não há o que temer.
*   *   *
Ao longo das eras, o homem tem se indagado o que existe para além da tumba, como será a outra vida.
Em torno disso, teólogos e religiosos se têm posto a pensar e têm até estabelecido discussões acerca das ideias que fazem do que seja essa outra vida para onde todos iremos.
No século XIX, na França, um pedagogo francês indagou dos imortais a respeito e o véu começou a ser levantado, revelando um mundo cheio de vida.
Vida abundante como falou o Mestre de Nazaré.
Livros foram escritos dizendo de como essa vida prossegue para os Espíritos imortais que somos todos nós.
Mas nem todos creem nos Espíritos, nessas vozes dos céus. Nem todos creem na mediunidade e nos fenômenos da comunicação dos chamados mortos.
Contudo, todos os que nos dizemos cristãos, com certeza recordamos das palavras do Mestre Jesus, em Seu discurso de despedida, naquela noite de quinta-feira, precedendo a Sua prisão:
Não se turbe o vosso coração. Crede em Deus. Crede também em mim.
Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vo-lo teria dito. Eu vou para vos preparar o lugar.
Portanto, tem razão o médico. Se nosso Senhor estará lá, se disse que iria à frente para nos preparar o lugar, é que nos aguarda.
Dessa forma, não importa o que mais exista lá. Não importa se temos ideias mais nítidas ou não do que exista para além da vida física.
Uma certeza temos: Jesus estará lá. Ele nos aguarda, Pastor de todas as ovelhas deste planeta e, como bom Pastor, nos receberá.
Pensemos nisso!
Redação do Momento Espírita, com base em texto que 
circula pela Internet, sem título e sem autoria e dos versículos
1 a 3 do cap. XIV do 
Evangelho de João.
Disponível no CD Momento Espírita, v. 17, Imortalidade e 
no livro Momento Espírita, v. 9, ed. FEP.
Em 21.11.2016.

Aconteceu no dia

Nasce Bruce Lee, ícone cultural e referência nas artes marciais

27-11-1940
Ícone cultural e também referência nas artes marciais, o lendário Bruce Lee nascia em um dia como este, no ano de 1940, em São Francisco. Instrutor de artes marciais, ator, roteirista, diretor e produtor de cinema, ele foi fundador do movimento de artes marciais Jeet Kune Do e é considerado um dos lutadores de artes marciais mais influentes do mundo. Apesar de ter nascido nos EUA, ele passou sua adolescência em Hong Kong. Emigrou para os Estados Unidos aos 18 anos para reivindicar sua cidadania norte-americana e estudar. Foi nesta época que começou a ensinar artes marciais e, a partir daí, passou a atuar em filmes e na TV.
Com ele, os filmes de artes marciais alcançaram um novo patamar de popularidade e consagração, e houve um interesse pelas artes marciais chinesas no mundo ocidental na década de 1970. Ele é conhecido por seus papéis em Dragão Chinês (The Bigue Boas,1971) e a Fúria do Dragão (Fist of Fury, 1972) de Lo Wei; O Voo do Dragão (Way of the Dragon,1972), dirigido e escrito por Lee; Operação Dragão (Enter the Dragon, 1973), da Warner Bros., dirigido por Robert Clouse; e Jogo da Morte (Game of Death, 1978), dirigido também por Clouse.
Sua vida contudo, teve um fim inesperado. No dia 20 de julho de 1973, ele foi encontrado morto em um apartamento em Hong Kong. Após algumas controvérsias em torno de sua morte, chegou-se a conclusão que ele teria morrido por causa de um edema cerebral agudo, causado pela reação aos compostos de alguns remédios.

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org