Papo de Varanda


Estava, como sempre, dando minha caminhada pelo parque, quando encontrei André, um amigo enfermeiro, e percebi que ele não estava a caminhar calmamente e sim com algum destino e apressado. Mesmo sabendo que poderia atrapalhá-lo parando para perguntar, o fiz, pois não é normal correrias por aqui e logo me despertou curiosidade em seu destino.
“Oi André, para onde vai com tanta pressa, algo errado nas enfermarias?”
_Menina Isa, estou indo ao ambulatório da entrada, está chegando um paciente importante para mim.
“Pessoal?”
_Normal, só quero ver como está sendo feito o procedimento de chegada, pois ouvi dizer como é, mas nunca  presenciei.
“Não teria alguém já especializado nisso lá?”
_Sim, mas quero ver! Estado e forma que chegam, para assim ligar certos relatos que recebo quando já estão  comigo.
“Será que alguém não vai se irritar com você fazendo isso, ou seja, saindo de seu setor?”
_Espero que não, estou apenas querendo saber, aprender mais e mais...,deixe- me ir menina Isa, lhe encontro mais tarde, no crepúsculo.
“Sim, até.”
Com esse pequeno encontro com André, no parque, já tive paramentos para passar fluídos mentais de minhas amigas na Terra.
Observo que, às vezes, elas reclamam um pouco de não acontecer novidades em sua vida, porém elas não aceitam novos desafios e quando aparecem, ou elas se esquivam ou tentam resolver da mesma forma que resolveram, erroneamente; assim, se der errado novamente , seu barco continua parado na mesma. Também temos que saber se devemos agir ou não.
Observar o que realmente é preciso, o que realmente é necessário, daí saberá  onde estão as oportunidades e as novidades reais.
Como diz Clarêncio em” Nosso Lar”:
“Quando o servidor está pronto, o trabalho aparece.”
Será mesmo que estamos prontos para o que queremos? Olhamos isso em todos os sentidos, de pequenas compras a grandes negócios?
Meu amigo André já tem suas tarefas destinadas durante o dia, mas estava interessado nas antecedentes a elas para melhor fazer seu trabalho, sem ninguém lhe falar ou pedir.
Está nítido que logo suas tarefas aumentariam, por  já estar dando conta de suas normais.
Ele e eu não percebemos ,mas tem alguém nos olhando e observando, zelando pelo bem estar e harmonia de nossa colônia.
Assim como na Terra, pode parecer que estamos parados, mas muitas das vezes em pequenas situações, somos colocados em teste, para saber se já assumimos novas tarefas e na maioria das vezes as respostas são negativas.
Ao ajudar alguém, ajudamos de maneira errada; ao aconselhar falamos demais; ao dar uma opinião, às vezes, não damos;em momento de silenciarmos intimamente, saímos para festejar...
Assim somos observados  e certas “missões “que viriam para nos melhorar, ficam paradas, esperando o momento certo em que nossos corações estejam mais preparados.
Falta de atitude nos deixa parados; atitude demais nos deixa enrolados.
Paciência  é a maior caridade que posamos fazer a nós mesmos.

Isabelle 

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org