Aurora Musical: Cássia Eller - Gatas extraordinárias

Aurora Musical: Cássia Eller - Gatas extraordinárias

Noticias do Meio


Cientistas acham conjunto planetário jovem, mas com planetas gigantes


Cientistas fizeram, literalmente, uma grande descoberta. Eles localizaram, orbitando uma estrela a 130 anos-luz de distância, quatro planetas gigantes, maiores do que qualquer um dos existentes no nosso Sistema Solar.
E mais: o sistema é relativamente novo em termos cósmicos --tem 30 milhões de anos-- e ainda tem grandes discos de poeira, além de asteroides e cometas.
Os planetas circundam a estrela HR 8799, um astro que tem cerca 1,5 vez o tamanho do Sol e é cinco vezes mais brilhante do que ele.
Divulgação Dunlap Institute for Astronomy & Astrophysics
Concepção artística do sistema planetário HR 8799 em um estágio inicial de sua evolução, mostrando o planeta HR 8799c e um disco de gás e poeira
Concepção artística do sistema planetário HR 8799 em um estágio inicial de sua evolução, mostrando o planeta HR 8799c e um disco de gás e poeira
Ao contrário da maioria dos exoplanetas --planetas fora do Sistema Solar--, a descoberta desse sistema não foi feita de maneira indireta, pela análise de dados da estrela e de outros fatores. Os planetões foram diretamente vistos usando os telescópios Gemini e Keck, no Havaí.
O planeta HR 8799e, o mais interno dos achados, tem aproximadamente nove vezes a massa de Júpiter --o maior do nosso Sistema Solar. Ele está 14,5 vezes mais longe de sua estrela do que a Terra está do Sol.
Já o planeta HR 8799d é ainda maior, com dez vezes a massa de Júpiter. Ele leva cerca de cem dias da Terra para orbitar sua estrela.
Também com dez vezes a massa de Júpiter, o HR 8799c teve alguns detalhes da atmosfera revelados. Ao estudarem a luz refletida pelo planeta, os cientistas identificaram que sua atmosfera tem água e carbono.
O planeta mais externo do grupo, HR 8799b, tem cerca de sete vezes a massa de Júpiter. Ele está 68 vezes mais longe da estrela do que a Terra está do Sol.
Apesar das fortes evidências, os planetas ainda são considerados candidatos. Ainda é preciso que a descoberta seja confirmada por outros cientistas para bater o martelo quanto à existência e as características desses planetões.

Noticias do meio


Minha terra tem coqueiros

Como a frutífera de origem controversa tornou-se a cara de um Brasil que cresce economicamente e não perde suas raízes culturais


No momento em que a identidade e a cultura brasileira vêm ganhando notoriedade, nada mais importante que ressaltar um dos elementos climático e paisagístico que mais representa e vem representando iconicamente a tropicalidade brasileira: o coqueiro e seu tão apreciado fruto.
Apesar de sua questionada origem disputada entre Nova Zelândia, sudeste asiático e nordeste da América do Sul, a versão que mais ganha aceitação é a que o nosso refrescante coco de cada dia é de origem asiática e teve suas primeiras mudas trazidas para o Brasil pelos portugueses por volta de 1553. O coqueiro, membro da mesma família das palmeiras, substituiria muito a altura essa última na conhecidíssima "Canção do Exílio", de Gonçalves Dias, não sendo comprometida nem a rima e nem o sentido de brasilidade contidos nos versos "Minha terra tem palmeiras (...)".
Sabendo ou não sua origem, o coqueiro se incorporou e traduz a cultura brasileira de forma rica e completa de Norte a Sul de um país de dimensões continentais. Na culinária (cocada, moquecas e tantas outras delícias); No artesanato com palha e a casca do fruto do coqueiro; além da economia e empregos diretos e indiretos advindos do cultivo e plantação, que fazem com que o Brasil seja o 5º maior produtor mundial do fruto.
Segundo estudo de 2011, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), a Bahia é o maior produtor do Brasil de cocos. Disso e da forte influência africana nesse estado, entendemos os motivos do fruto do coqueiro habitar a famosa culinária contida no tão brasileiro tabuleiro da baiana. Certamente ao redor do fruto do coqueiro foi criada uma diversidade culinária que harmonicamente reúne influências africana, indígena e européia, assim como é em todo e qualquer elemento da identidade brasileira.
As tardes de Itapuã de Vinicius de Morais; os contos de Jorge Amado, José de Alencar e tantos outros escritores que exaltaram a brasilidade certamente não traduziriam tão ricamente o verde de nossa flâmula se em algum momento dessas obras não fossem idealizados cenários brindados com o balançar dos coqueiros. O ufanismo tropical brasileiro exaltado por canções, contos e poesias sempre incluiu o coqueiro como um elemento descritivo e, em tempos de crescimento econômico e de grandes eventos esportivos, a figura da mais brasileira das frutíferas sempre está presente em cartazes que divulgam eventos ocorridos pelo país.
Os coqueiros de Itapuã, traduzidos em melodia criada por Dorival Caymmi e cantada por Caetano Veloso, revelam uma mínima amostra da extensão territorial que planta e fruto alcançaram em terras brasileiras. Apesar da origem incerta, o coqueiro exalta e contribui da melhor forma possível para a construção da identidade de um pais que cresce e desenvolve-se, mas não abandona suas raízes históricas e naturais.

Estudos (Básicos)



DIFERENTES ORDENS DE ESPÍRITOS: ESCALA ESPÍRITA E PROGRESSÃO DOS ESPÍRITOS

Existem entre os Espíritos diferentes ordens, de acordo com o grau de perfeição que tenham alcançado. Esse grau de perfeição pode ser maior ou menor, dependendo das qualidades que os Espíritos já adquiriram e das imperfeições de que ainda não se despojaram.
Como não há linhas de demarcação definidas entre essas diferentes ordens, o seu número é ilimitado, podendo ser aumentado ou diminuído, conforme o critério adotado.
Considerando-se, todavia, os caracteres gerais dos Espíritos, pode-se classificá-los em três ordens principais, a saber.
Primeira Ordem: Espíritos Puros: os que já chegaram à perfeição;
Segunda Ordem: Bons Espíritos: aqueles nos quais o desejo do bem é predominante;
Terceira Ordem: Espíritos Imperfeitos: aqueles em que predomina a ignorância, o desejo do mal e todas as paixões más que lhes retardam o progresso.
Esta classificação geral pode desdobrar-se em nuances que variam ao infinito. Existem, contudo, caracteres bem definidos que permitem agrupar os Espíritos de acordo com suas tendências e aptidões, constituindo-se numa escala ou num quadro que, no dizer do Codificador, (...) é, de certo modo, a chave da ciência espírita, porquanto só ele pode explicar as anomalias que as comunicações apresentam, esclarecendo-nos acerca das desigualdades intelectuais e morais dos Espíritos. (...)
Com base nessas considerações, Kardec subdividiu as três ordens supracitadas em dez classes, como segue:
TERCEIRA ORDEM: ESPÍRITOS IMPERFEITOS
Caracteres Gerais: Predomínio da matéria sobre o Espírito; propensão ao mal; têm a intuição de Deus, mas não o compreendem; apresentam idéias pouco elevadas.
Esta ordem apresenta cinco classes principais:
Décima Classe: Espíritos Impuros: o mal é o objeto de suas preocupações; sua linguagem é grosseira e revela a baixeza de suas inclinações;
Nona Classe: Espíritos Levianos: são ignorantes e inconsequentes, mais maliciosos do que propriamente maus, linguagem alegre, irônica e superficial;
Oitava Classe: Espíritos Pseudo-Sábios: possuem grande conhecimento, mas julgam saber mais do que sabem; sua linguagem tem caráter sério, misturando verdades com suas próprias paixões e preconceitos;
Sétima Classe: Espíritos Neutros: apegados às coisas do mundo, não são bons o suficiente para praticarem o bem, nem maus o bastante para fazerem o mal;
Sexta Classe: Espíritos Batedores e Perturbadores: podem pertencer a todas as classes da Terceira Ordem; sua presença manifesta-se por efeitos sensíveis e físicos, como pancadas e deslocamento de corpos sólidos; são agentes dos elementos do globo; deles se servem os Espíritos Superiores para produzir esses fenômenos físicos do planeta.
SEGUNDA ORDEM: BONS ESPÍRITOS
Caracteres Gerais: predomínio do Espírito sobre a matéria; desejo do bem; compreendem Deus e o infinito, mas ainda terão de passar por provas; uns possuem a ciência, outros a sabedoria e a bondade; os mais adiantados juntam ao seu saber as qualidades morais.
Esta ordem apresenta quatro classes principais:
Quinta Classe: Espíritos Benévolos: seu progresso realizou-se mais no sentido moral do que no intelectual; a bondade é a qualidade dominante;
Quarta Classe: Espíritos Sábios: amplitude de conhecimentos aplicados em benefício dos semelhantes; têm mais aptidão para as questões científicas do que para as morais;
Terceira Classe: Espíritos de Sabedoria: elevadas qualidades morais e capacidade intelectual que lhes permitem analisar com precisão os homens e as coisas;
Segunda Classe: Espíritos Superiores: reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade; buscam comunicar-se com os que aspiram à verdade; encarnam-se na Terra apenas em missão de progresso e caracterizam o tipo de perfeição a que podemos aspirar neste mundo.
PRIMEIRA ORDEM: ESPÍRITOS PUROS
Caracteres Gerais: Nenhuma influência da matéria; superioridade intelectual e moral absoluta em relação aos Espíritos das outras ordens.
Esta ordem apresenta apenas uma única classe:
Primeira Classe: Classe Única: - Os Espíritos que a compõe percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Tendo alcançado a soma da perfeição de que é suscetível a criatura, não têm mais que sofrer provas nem expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, realizam a vida eterna no seio de Deus.
Gozam de inalterável felicidade, porque não se acham submetidos às necessidades, nem às vicissitudes da vida material. (...)

Tumblr




Sarcófago- Tears For Fears - Head Over Heels + lyrics


Estudos





EM FACE DE JESUS
Nos bastidores da civilização, somos compelidos a reconhecer que a
Índia foi a matriz de todas as filosofias e religiões da Humanidade,
inclusive do materialismo, que lá nasceu na escola dos charvacas.
Um pensamento de gratidão nos toma o íntimo, examinando a sua
grandeza espiritual e as suas belezas misteriosas, mas, acima dos seus
iogues e de seus "mahatmas", temos de colocar a figura luminosa daquele
que é a luz do mundo, e cuja vinda à Terra se verificaria para trazer a palma
da concórdia e da fraternidade, para todos os corações e para todos os
povos, arrasando as fronteiras que separam os espíritos e eliminando os
laços ferrenhos das castas sociais, para que o amor das almas
substituísse o preconceito de raça no seu reinado sem-fim.

A família indo-européia
AS MIGRAÇÕES SUCESSIVAS
Se as civilizações hindu e egípcia definiram-se no mundo em breves
séculos, o mesmo não aconteceu com a civilização ariana, que ia iniciar na
Europa os seus movimentos evolutivos.
Somente com o escoar de muitos séculos regularizaram-se as suas
migrações sucessivas, através dos planaltos da Pérsia. Do Irá procederam
quase todas as correntes da raça branca, que representariam mais tarde
os troncos genealógicos da família indo-européia.
Conforme afirmávamos, os arianos que procuravam as novas
emoções de uma terra
desconhecida eram, na sua maioria, os espíritos revoltados com as
condições do seu degredo; pouco afeitos aos misteres religiosos que, pela
força das circunstâncias, impunham uma disciplina de resignação e
humildade, não cuidaram da conservação do seu tradicionalismo, na ânsia
de conquistar um novo paraíso e serenarem, assim, as suas inquietações
angustiosas.

A AUSÊNCIA DE NOTÍCIAS HISTÓRICAS
Aí reside a razão do escasso conhecimento dos historiadores,
acerca dos árias primitivos que lançaram os marcos da civilização
européia.
Caminheiros do desconhecido, erraram pelas planícies e montanhas
desertas, não como o povo hebreu, que guardava a palavra divina com a
sua fé, mas desarvorados e sem esperança, contando apenas com as
próprias forças, em virtude do seu caráter livre e insubmisso
Suas incursões, entre as tribos selvagens da Europa, datam de mais
ou menos dez milênios antes da vinda do Cristo, não obstante a
humanidade localizar-lhe a marcha apenas quatro mil anos antes do
grande acontecimento da Judéia. É que, em vista de sua situação
psicológica, os primitivos árias do Velho Mundo não deixaram vestígios
nos domínios da fé, único caminho, daqueles tempos, através do qual
poderia uma raça assinalar sua passagem pela Terra. Não guardavam a
história verbal de uma religião que não possuíam. Mais revoltados e
enrijecidos que todos os demais companheiros exilados no orbe terrestre,
suas reminiscências da vida pregressa nos planos mais
elevados, qual a que haviam experimentado no sistema da Capela,
traduziam-se numa revolta íntima, amargurada e dolorosa, contra as
determinações de ordem divina. Apenas, muito mais tarde, com a
contribuição dos milênios, os celtas retornaram ao culto divino, venerando
as forças da Natureza, junto dos carvalhos sagrados, e os germanos
iniciaram a sua devoção ao fogo, que personificava, a seus olhos, a
potência criadora dos seres e das coisas, enquanto outros povos
começaram a sacrificar vítimas e objetos aos seus numerosos deuses.

Repensar

Noticias do Mundo


Segundo sociólogo, Brasil é o melhor dos mundos existentes

Para o sociólogo italiano Domenico De Masi, "o Brasil não é o melhor dos mundos possíveis, mas é o melhor dos mundos existentes".
De Masi será sabatinado no dia 19 em São Paulo.
"Depois de copiar o modelo europeu por 450 anos e o modelo americano por 50, agora que ambos estão em crise e ainda não há um novo para substituí-lo, chegou a hora de o Brasil propor um modelo para o mundo", diz De Masi.
De Masi desembarca no país para participar da primeira edição do "Refletir Brasil - Diálogo com a Brasilidade", em Paraty, de 20 a 22 de março. O evento reunirá intelectuais e lideranças em mesas temáticas sobre cultura, educação, economia, criatividade e sustentabilidade.
Professor da universidade romana de La Sapienza, De Masi, hoje aos 75 anos, se tornou internacionalmente conhecido em 2000, com o lançamento de "O Ócio Criativo".
Na obra, o autor defende a redução das jornadas de trabalho e a flexibilização do tempo livre, em um contexto mais adequado à globalização e à sociedade pós-industrial.
Desde então, tem se dedicado à análise da organização da cultura de trabalho criativo na vida contemporânea e a estudos comparativos sobre a herança de diferentes modelos de vida no mundo --do indiano, chinês ou japonês, ao muçulmano, judaico, católico ou protestante.

Noticias do Meio


Workshop - Dr. Sérgio Felipe de Oliveira

O Dr. Sérgio Felipe de Oliveira irá realizar o workshop “Dissecando a Glânedula Pineal – Para entender as doenças físicas e mentais e os novos modelos de tratamento”. O evento será no dia 23 de março de 2013, a partir das 16hs. O Workshop será na rua Paulo  Orozimbo, 916 – Aclimação – São Paulo – SP
Investimento: R$ 125,00
Desconto especial para sócios do Clube Amigos da Boa Nova
Para mais informações e inscrições ligue para: 3209-5531/ 3209 – 5371
O Dr. Sérgio Felipe é coordenador da Uniespírito, projeto que busca realizar pesquisas e divulgar conteúdos úteis a humanidade no que se refere ao tema Medicina e Espiritualidade. Neste momento a prioridade do Projeto é a concretização da Escola de Aperfeiçoamento Médico, que com pesquisas, aulas e convênios com Universidade nacionais e internacionais, pretende disseminar argumentos científicos ligados à integração da Medicina e Espiritualidade entre médicos, alunos de medicina, profissionais da área de Saúde e demais interessados no tema em questão.

Programas que Amamos


Programa Convite à Prece
Vai ao AR: 
quinta-feira - 11:50
Minutos para o consolo e o equilíbrio através da oração. Eleve seu pensamento e acompanhe Gastão de Lima Netto nestes momentos de sintonia com a espiritualidade.
Seguindo Jesus
Uma prece que enaltece a elevação moral, a arte que brilha a fé é a mesma que ilumina e aquece o amor.

Noticias do meio


Assistência Espírita ao Preso

O 7º Seminário do Setor de Assistência Espírita ao Preso do Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro será realizado no dia 17 de março de 2013, das 9 às 12h, no auditório do CEERJ. O tema central será "Assistência Espírita ao Preso: Isso é para mim?"
O que motivou a escolha do tema por parte dos organizadores foi a recorrente observação ouvida de muitos companheiros: "Esse trabalho a que vocês se dedicam é muito nobre! Mas isso não é para mim!"
O evento contará com a presença da escritora Gladis Pedersen, do Rio Grande do Sul, como palestrante.
Inscrições no local. O endereço do CEERJ é Rua dos Inválidos, 182, Centro, Rio de Janeiro, RJ.
Outras informações podem ser obtidas em pelos telefones (21) 2224-1244, (21) 2404-1791 ou (21) 7409-9627.
O SAEP — Serviço de Assistência Espírita ao Preso
É um setor da Área de Relações Externas do CEERJ, formado por um colegiado de representantes de instituições que atuam na área de assistência espírita àqueles que estão em conflito com a lei, tais como, presos adultos, adolescentes em conflito com a lei cumprindo medida sócio-educativa, aqueles que cumprem penas alternativas, os que se encontram cumprindo medida de segurança em manicômios judiciários, bem como os egressos do sistema penal. Sua principal finalidade é aproximar e apoiar os grupos que prestam assistência espírita aos que se encontram em conflito com a lei, bem como os seus familiares, buscando divulgar e disseminar essa tarefa para as Casas Espíritas, a comunidade espírita e a sociedade em geral.

Saiba mais

Foto de León Denis

León Denis nasceu na França, em 1º de Janeiro de 1846, numa localidade chamada Foug, na região da Alsácia Lorena, iniciando uma vida exemplar, na qual desde a mais tenra infância conheceu as dificuldades materiais, o trabalho árduo, mas também coisas belas, as quais soube apreciar e valorizar: o aconchego familiar, as belezas naturais e os tesouros da civilização de seu país, as maravilhosas revelações contidas nos livros que, embora de difícil acesso para o jovem operário, lhe traziam conhecimentos que o deslumbravam e lhe proporcionavam "viagens" pelo mundo, pelos espaços infinitos, pelas riquezas inestimáveis do pensamento humano.
Aos 18 anos, conheceu, Allan Kardec. Pouco tempo depois, assistiu a uma conferência proferida pelo codificador da Doutrina Espírita em Tours, cidade na qual viveu, dos 16 anos até o fim de sua vida. Ali, de pé no jardim onde se realizou a conferência, sob a luz das estrelas, Denis bebeu as palavras de Kardec, que falava sobre a obsessão...e, desde então, entregou-se com todas as potências de sua alma, à causa do estudo e da divulgação da Doutrina Espírita.
E é nesse espírito de total entrega que ele atravessa, imperturbável, todas as tormentas da existência: guerras (inclusive a Primeira Guerra Mundial), cegueira, críticas, perda de entes queridos, etc, sempre firme em seu posto, escrevendo livros e artigos, fazendo palestras, presidindo Congressos, sempre esclarecendo, consolando, animando. "Sempre para o mais alto!" É o lema que seu guia espiritual Jerônimo de Praga lhe dá para pautar a sua vida. É o exemplo que colhe da vida de sua amada "sorella", a heroína Joanna d Arc. É o lema que ele nos dá a todos. Sua vida absolutamente coerente com a sua obra lhe vale o título de "Apóstolo do Espiritismo".
A hora de partir para o plano espiritual, de onde continua sua missão, vem encontrar o trabalhador, já ancião, com 81 anos, em plena atividade.
Apressa-se em concluir o livro "O Gênio Céltico e o Mundo invisível", para entregá-lo a seus editores. Não chegaria a vê-lo publicado.
Dita para a sua secretária, Claire Baumard, o prefácio prometido a Henri Sauce, que irá publicar uma biografia de Kardec. Que trabalho seria mais digno de encerrar a carreira de Denis?
Manhã chuvosa de 12 de abril de 1927, no quarto de Denis amigos fiéis acompanham seus últimos instantes. Gaston Luce e sua esposa estão entre eles. "Mademoiselle" Baumard tem nas suas as mãos do agonizante, que não cessa de lhe dar recomendações...pelo futuro da Doutrina Espírita. "Chamado ao espaço", Denis parte, vitorioso, e, de lá, continua nos esclarecendo, consolando e animando:
"Homem! Meu irmão! Vamos para o mais alto! Mais alto!"

Noticias do Meio


JAPÃO EXTRAI PELA PRIMEIRA VEZ GÁS A PARTIR DE HIDRATO DE METANO

Japão extrai pela primeira vez gás a partir de hidrato de metano

Altamente dependente da importação da energia que consome, o Japão está dando os primeiros passos na busca por uma alternativa energética além do uso da força nuclear após o acidente de Fukushima, em 2011. O país, que, segundo estimativas, compra atualmente 95% da sua força energética, conseguiu pela primeira vez extrair do fundo do mar gás a partir de hidrato de metano.

O primeiro teste foi realizado nesta semana, e a meta agora é alcançar uma extração estável ao longo dos próximos 15 dias. A expectativa é que ocorra um segundo teste de extração entre 2014 e 2015, e o projeto de pesquisa desse novo meio energético deve seguir até 2019.

O experimento ocorreu na costa da cidade de Aichi, a 330 metros sob a terra, o que representa mil metros de profundidade marinha. Já se sabe da existência de grandes quantidades de hidrato de metano no fundo do mar do arquipélago japonês há dois séculos, contudo, sua exploração é tecnicamente muito difícil e de alto custo. Este gás é encontrado em regiões caracterizadas por fortes abalos sísmicos, o que é o caso do Japão.

O hidrato de metano pode ser usado para o transporte de longas distâncias e também poderia disputar espaço no mercado com o gás liquefeito (GNL) ou o gás de xisto. A demanda de gás no Japão aumentou consideravelmente desde que boa parte dos 50 reatores nucleares do país foram desativados depois do acidente nuclear de Fukushima.

Artigo relacionado

BBC

Cometa Panstarrs segue dando show pelo céu ao redor do mundo

COMETA PANSTARRS SEGUE DANDO SHOW PELO CÉU AO REDOR DO MUNDO



A passagem do cometa Panstarrs pela Terra segue dando um espetáculo pelo céu ao redor do mundo. Depois de ter registrado uma boa visibilidade no Hemisfério Sul, agora ele está mais visível no Norte e, em especial, durante a noite desta quarta-feira. Este corpo celeste, oficialmente batizado  C/2011 L4 Panstarrs, é uma bola de gelo com uma longa calda formada pelos seus detritos.

O cometa está fazendo uma passagem "próxima" da Terra, o que significa 170 milhões de quilômetros, mais de 400 vezes a distância do nosso planeta e da Lua. Contudo, sua calda é, aproximadamente, 10 vezes mais longa do que a largura da Terra. Quando este corpo celeste atravessa a vizinhança do nosso planeta, todo o seu gelo e poeira refletem a luz e isso faz com que ele brilhe no céu à noite.

O cometa esteve mais visível no Hemisfério Sul durante algumas semanas, mas agora ele está cruzando em boas condições o céu na parte Norte do globo. E a melhor oportunidade para visualizá-lo nesta região é justamente na noite desta quarta-feira, quando a fina lua crescente tornará mais fácil a tarefa de encontrá-lo até mesmo a olho nu.

Quem quiser acompanhar o cometa terá que procurar um lugar sem a luz das cidades ou poluição e também torcer para que o céu não esteja nublado. Mesmo quem não conseguir ver o cometa nesta noite, terá outras oportunidades até o final do mês, contudo, ele estará cada vez mais alto em relação à linha do horizonte com o passar dos dias. A observação poderá ser feita com bons binóculos ou um telescópio.

É melhor aproveitar a chance de ver este cometa agora, pois sua próxima passagem deverá ocorrer somente daqui a centenas de séculos. A descoberta do Panstarrs é relativamente recente: foi observado pela primeira vez em 2011, pelo Panoramic Survey Telescope and Rapid Response System, localizado no topo do vulcão Haleakala, no Havaí. Depois deste cometa, outro grande acontecimento este ano será a passagem do Ison, em novembro, que promete dar outro show ao redor do mundo.

Artigo relacionado

Forbes

Noticias do Meio


Com fauna e flora raras, conjunto de ilhas tem cenário 'de outro planeta'

Arquipélago de Socotra, no Oceano Índico, atrai adeptos do ecoturismo.
Local tem praias de mar azul e árvores 'sangue de dragão'.


Socotra, arquipélago de ilhas no Oceano Índico, pertencentes ao Iêmen (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)A estranha vegetação de Socotra atrai adeptos do turismo ecológico
(Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)
Um lugar que parece outro planeta. Assim costuma ser definido o arquipélago de Socotra, conjunto de quatro ilhas localizado no noroeste do Oceano Índico, a 250 km da costa africana.
Pertencente ao Iêmen, Socotra tem uma paisagem única, com vários animais e vegetais que só vivem por lá: 37% de suas 825 espécies de plantas, 90% dos répteis e 95% dos caracóis terrestres não existem em nenhuma outra parte do mundo.
Socotra, arquipélago de ilhas no Oceano Índico, pertencentes ao Iêmen (Foto: Boris Khvostichenko/Creative Commons)A árvore sangue de dragão parece um cogumelo (Foto: Boris Khvostichenko/Creative Commons)
A região também tem praias de areia branca e mar azul e uma rica biodiversidade marinha, com centenas de espécies de peixes, corais, lagostas, camarões e caranguejos.
Essas características atraem às ilhas principalmente visitantes aventureiros e adeptos do ecoturismo.
'Galápagos'
Socotra está entre os patrimônios mundiais da Unesco e é classificada pela entidade com um lugar “excepcional pela grande riqueza e pela diversidade de sua flora e sua fauna”.
Há também quem conheça o local como as "Galápagos do Oceano Índico", em referência às ilhas equatorianas com grande biodiversidade.
Socotra, arquipélago de ilhas no Oceano Índico, pertencentes ao Iêmen (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)Banhado pelo Oceano Índico, o arquipélago tem praias de mar azul
(Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)
Um dos atrativos naturais que mais chamam a atenção dos visitantes é a árvore sangue de dragão (Dracaena Cinnabara), que tem um estranho formato que lembra um cogumelo.
As atividades oferecidas pelas agências de turismo locais incluem trekking, mergulho, passeios de barco ou de veículo 4 x 4, paraquedismo, observação de pássaros raros e de golfinhos e baleias.
Socotra, arquipélago de ilhas no Oceano Índico, pertencentes ao Iêmen (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)Árvores de Socotra vista de baixo (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)
Socotra, arquipélago de ilhas no Oceano Índico, pertencentes ao Iêmen (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)A fauna da região também é rica (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons
Socotra, arquipélago de ilhas no Oceano Índico, pertencentes ao Iêmen (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Commons)Árvores em Socotra, no Oceano Índico (Foto: Nacho Benvenuty/Creative Common
s

LIÇÃO DE VIDA


PRECE EM FAMÍLIA 



Todas as noites um casal e seus dois filhos se davam as mãos para um momento de oração. Mas somente os pais faziam a prece.
As crianças normalmente ficavam quietinhas, e só respondiam “amém”.

Certa noite, o pai pediu ao filho mais novo, Vinícius, de 6 anos, para dizer simplesmente " obrigado, Jesus".
O pai achou que já estava na hora dos filhos aprenderem a fazer a prece. O menino repetiu:
Obrigado, senhor... 
E então, terminaram a prece.
Normalmente, depois da oração, todos se abraçavam e trocavam beijos de boa noite. Vinícius, porém, fazia mais; sempre dava um beijo gelado na testa dos pais.
Para os pais, aquele beijo carinhoso era uma espécie de ponto que aliviava e afastava todas as preocupações do dia.
Numa noite, quando terminaram a prece, Vinícius, do seu jeito infantil, disse:
Papai, eu quero falar minha prece de novo.
O pai concordou, sem imaginar a surpresa que o esperava.
Vinícius, com seu discurso enrolado, começou a fazer sua prece: Agradeceu a Deus por sua família, inclusive, falou cada nome; agradeceu por sua bicicleta, por sua cama, pela casa que moravam, pelos amiguinhos, e por mais uma porção de outras coisas.
Os pais ficaram emocionados e surpresos, pois aquele pequeno anjinho tinha feito uma das preces mais comoventes que eles já tinham ouvido.
Depois foi a vez do filho mais velho, Vítor, que também surpreendeu:
Ele agradeceu a Deus por seu travesseiro, suas roupas, sua cama, seus sapatos, e muitas outras coisas que seus pais jamais pensaram que o menino lembraria.
O pai até ficou preocupado pensando se os filhos não estavam sendo muito materialistas. Mas rapidamente se livrou daquele pensamento e disse para si mesmo: “ Não, meus filho só estão sendo agradecidos a tudo o que têm”
Os pais, como sempre faziam no final das orações, deram as mãos aos filhos e se abraçaram. Em seguida, deram um beijo na testa dos filhos e foram dormir. Estavam tranqüilos e felizes... afinal, seus dois filhos os ensinaram muita coisa naquela noite. Nenhum dos meninos, apesar de ainda serem tão pequeninos, pediu alguma coisa a Deus. Eles somente agradeceram.
Os pais perceberam, então, que nunca só agradeceram a Deus por tudo o que tinham. Principalmente pelas coisas " mais simples", porém muito importantes, como fizeram seus dois filhos.
Por isso, antes de dormirem, se ajoelharam e pediram, do fundo de seus corações a Deus:
Senhor, podemos falar nossa prece de novo?

LIÇÃO DE VIDA:

A oração em família mantém a harmonia de um lar.
A família é um presente de Deus para nós.
Hoje é dia de São José, o padroeiro da Família.
Mais do que nunca, procure orar, rezar em família.

Obrigado

Queremos agradecer a mais resultado de Audiência que acabou de chegar,na figura abaixo,explica que no dia 15/02 foi o dia de nossa menor audiência 26 se a nossa meta é 20 diárias,então estamos bem....
Nessa mostra visualizações em relação países.

Nessa é horários,o horario mais baixo é madrugada Brasil,12 pontos.

 Nessa é a marcação diária:
Novos e Antigos amigos:

A visão de lares que entramos pelo Mundo;

É ou não é de emocionar e ter muita responsabilidade no que postamos
OBRIGADO !!!




Sarcófago,Toada


Novo Papa.


Imagens do Face




Abrindo a biblia

Tumbrl




Estudos




AS CASTAS
O povo hindu, não obstante o seu elevado grau de desenvolvimento
nas ciências do Espírito, não aproveitou de modo geral, como devia, o seu
acervo de experiências sagradas.
Seus condutores conheciam as elevadas finalidades da vida.
Lembravam-se vagamente das promessas do Senhor, anteriores à sua
reencarnação para os trabalhos do penoso degredo. A prova disso é que
eles abraçaram todos os grandes missionários do pretérito, vendo neles
os avatares do seu Redentor. Viasa foi instrumento das lições do Cristo,
seis mil anos antes do Evangelho, cuja epopéia, em seus mínimos
detalhes, foi prevista pelos iniciados hindus, alguns milênios antes da
organização da Palestina. Krishna, Buda e outros grandes enviados de
Jesus ao plano material, para exposição de suas verdades salvadoras,
foram compreendidos pelo grande povo sobre cuja fronte derramou o
Senhor, em todos os tempos, as claridades divinas do seu amor desvelado
e compassivo. Mas, como se a questão fosse determinada por um
doloroso atavismo psíquico, o povo hindu, embora as suas tradições de
espiritualidade, deixou crescer no coração o espinho do orgulho que, aliás,
dera motivo ao seu exílio na Terra.
Em breve, a organização das castas separava as suas coletividades
para sempre. Essas castas não se constituíam num sentido apenas
hierárquico, mas com a significação de uma superioridade orgulhosa e
absoluta. As fortes raízes de uma vaidade poderosa dividem os espíritos
no campo social e religioso. Os filhos legítimos do país dão-se o nome de
árias, designação original de sua raça primitiva, e o seu sistema religioso,
de modo geral, chama-se "Ária-Darma", que eles afirmam trazer de sua
longínqua origem, e em cujo seio não existem comunidades especiais ou
autoridade centralizadora, senão profunda e maravilhosa liberdade de sentimento.

OS RAJÁS E OS PÁRIAS
Na verdade, esses sistemas avançados de religião e filosofia evocam
o fastígio da raça no seu mundo de origem, de onde foi precipitada ao orbe
terreno pelo seu orgulho desmedido e infeliz.
Os arianos da Índia, porém, não se compadeceram das raças
atrasadas que encontraram em seu caminho e cuja evolução devia
representar para eles um imperativo de trabalho regenerador na face da
Terra; os aborígenes foram considerados como os párias da sociedade, de
cujos membros não podiam aproximar-se sem graves punições e severos
castigos.
Ainda hoje, o espírito iluminado de Gandhi, que é obrigado a agir na
esfera da mais atenciosa psicologia dos seus irmãos de raca não
conseguiu eliminar esses absurdos sociais do seio do grande povo de
iniciados e profetas. Os párias são a ralé de todos os seres e são
obrigados a dar um sinal de alarme quando passam por qualquer caminho,
a fim de que os venturosos se afastem do seu contágio maléfico.
A realidade, contudo, é que os rajás soberanos, ao influxo da
misericórdia do Cristo, voltam às mesmas estradas que transitaram sobre
o dorso dos elefantes ajaezados de pedrarias, como mendigos
desventurados, resgatando o pretérito em avatares de amargas provações
expiatórias. Os que humilharam os
infortunados, do alto de seus palácios resplandecentes, volvem aos
mesmos caminhos, cheios de chagas cancerosas, exibindo a sua miséria e
a sua indigência.
E o que é de admirar-se é que nenhum povo da Terra tem mais
conhecimentos, acerca da reencarnação, do que o hindu, ciente dessa
verdade sagrada desde os primórdios da sua organização neste mundo.

Noticias do meio


“Não tenho medo das pedras das feministas” diz Elba Ramalho

Elba Ramalho é um ícone da música brasileira e atualmente passa por um processo de aprofundamento na Fé católica. Engajou-se com empenho no movimento Pró-vida e ajuda a salvar vidas de bebês que seriam abortados pelas mães. Na edição 771 da Revista Época (Editora Globo) a cantora conta em uma entrevista seu amor pela vida, as ameaças de morte que recebeu de feministas e a alegria de viver a castidade há dois anos.
“Já passei pela experiência do aborto e, quando acordei, tomei consciência  do que tinha feito, esse pecado gravíssimo. Tive de encarar a morte e carreguei essa culpa durante anos,até ser resgatada, quando conheci a misericórdia de Deus”, testemunha a artista que hoje aconselha jovens que pensam em abortar. “Salvamos 14 vidas de meninas que foram estupradas. Hoje, todas estão felizes com os filhos”, explica.
As barreiras não paralisam a cantora. “Já peguei o avião várias vezes para ir a São Paulo tentar evitar abortos de gravidez avançada”, exemplifica. Outro desafio é a intolerância dos grupos feministas. “Recebi até ameaças de ser apedrejada”, conta a cantora ao jornalista Bruno Astuto. Mas arremata, “Não tenho medo das pedras das feministas. Rezo por elas”.
Hoje a alegria de Elba parte primeira do fato de ser cristã. “Quando salvo uma vida fico emocionada. Sou católica, tiro mendigo das ruas e salvo bebês”, descreve sua atuação. Para Elba esta é a melhor etapa de sua vida, “estou rindo à toa numa paz infinita”. E perguntado se estar namorando, responde: “Estou dando um tempo para mim. Há dois anos estou feliz na castidade. Existe o assédio, mas nem olho. Virei essa página. Se Nossa Senhora quiser me mandar um bom José, aceito”, finaliza.
Elba se prepara para lançar o 31º álbum de sua carreira, o Vambora lá dançar, no Sesc Pompeia, em São Paulo.

Noticias do Meio


Suicídio Involuntário

Muitos de nós estamos morrendo aos poucos, deixando de lado o cuidado com nosso corpo físico que foi emprestado para vivermos nossa vida material.
Os vícios apressam a morte, fazendo com que nossa saúde se desgaste.  Mas não são somente os vícios que fazem mal a nossa saúde, os maus pensamentos e atitudes negativas também desgastam nossas energias, ocasionando doenças e milhares de enfermidades de ordem material ou espiritual. O suicídio tem inúmeras formas e intenções.
Na obra “Nosso Lar” psicografado pelo médium Chico Xavier, O espírito André Luíz é taxado de suicida pelos espíritos de ordem inferior, porém André não entende, dizendo não ter se suicidado. André estava plenamente enganado, pois desencarnou de uma doença ocasionada por ele mesmo, e depois passou a compreender.
Está ai o exemplo vivo de que somos nós os responsáveis pelo cuidado que tomamos com nossos pensamentos e atitudes, pois as doenças não são somente de ordem material e física, mas também de ordem espiritual, e dependendo das energias emanadas acabamos absorvendo em nosso próprio organismo desencadeando um quadro doentio. André Luiz é o exemplo de que somos capazes de crescer e nos educarmos, buscou o conhecimento e se propôs a seguir no caminho do bem, dividindo suas experiências em muitas obras escritas por nosso querido Chico Xavier.
Que possamos aproveitar cada minuto de nossas vidas, cada oportunidade concedida por Deus, seguindo os exemplos vivos de Jesus, que não só pregou suas lições, mas as fez prova viva de muita luz e paz.
A tarefa não é nada fácil, somos espíritos imperfeitos e convivemos com desafios, porém à medida que vamos vencendo nossas imperfeições adquirimos mais força, focando em nossos ideais, educamos nossos pensamentos e conduzimos a prática do bem, ao próximo e a nós mesmos.
Equipe Rádio Boa Nova

Noticias do meio


Motivar para Servir

O Encontro Motivar para Servir será na em São José do Rio Pardo, nos dias 16 e 17 de março.
O evento trata-se de um encontro de debates e não de palestras, que aborda as atividades espíritas nas instituições, sendo facilitadores os expositores Francisco Coelho (Matão-SP), Ismael Batista (Guaxupé-MG) e Orson Peter Carrara (Matão-SP).
O programa se estende nos seguintes horários:
Horários: no sábado 16, das 14h30 às 21h
no domingo 17, das 8h30h às 12h
Local: ROTARY CLUBE DE SÃO JOSÉ DO RIO PARDO
Av. João Batista Junqueira, 217 - centro

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org