Noticias do meio

Planeta Terra pode ter tido duas luas

PLANETA TERRA PODE TER TIDO DUAS LUAS



Uma nova teoria sugere que um dia, há bilhões de anos, a Terra teve duas luas, de acordo com um artigo publicado na revista Nature. A hipótese foi desenvolvida numa tentativa de se explicar por que nosso satélite possui duas faces tão diferentes entre si, sendo uma mais acidentada (o lado obscuro) do que a outra.

Segundo Erik Asphaug, cientista da Universidade da Califórnia em Santa Cruz e coautor do estudo, há 4,4 bilhões de anos, um satélite menor teria colidido com o maior e, desta maneira, restou apenas um deles com formato assimétrico. Eles haviam se formado aproximadamente 100 milhões de anos antes, quando um planeta gigante se chocou com a Terra. Assim, as luas teriam começado a orbitar a Terra, com a menor no rastro da maior.

A lua maior acabou gerando um campo gravitacional que atraiu a menor e, então, ocorreu o impacto a uma velocidade relativamente baixa em termos de colisões planetárias, no caso 8.000 km/h. Como o choque foi "lento", as rochas nem teriam se fundido. Simulações gráficas ajudaram os pesquisadores a chegar à conclusão dos motivos pelos quais um lado da lua é mais montanhoso do que a face iluminada do nosso atual satélite.

Especialistas que não participaram da pesquisa observaram que a ideia faz sentido, mas ainda não estão totalmente convencidos. A teoria foi apresentada em uma conferência da Nasa, em Woods Hole, Massachusetts, mas nem todos concordaram com ela. Ao mesmo tempo, porém, não é fácil aplicar testes para comprovar a veracidade da teoria.

Artigo relacionado

Nature

Cabeça de estátua romana de 1800 anos é encontrada em antigo depósito de lixo

CABEÇA DE ESTÁTUA ROMANA DE 1800 ANOS É ENCONTRADA EM ANTIGO DEPÓSITO DE LIXO



Uma cabeça de uma estátua de 1800 anos, que pode pertencer a algum deus romano, foi recentemente encontrada em um depósito de lixo, de acordo com anúncia de arqueológos britânicos na última semana.

O estudante do primeiro ano de graduação de Arqueologia, Alex Kirton, da Universidade de Durham descobriu esta grande e intacta cabeça durante uma escavação arqueológica no Forte Romano de Binchester, o maior já construído pelo Império Romano em torno de 100 d.C, no condado de Durham, no nordeste da Inglaterra.

Arqueólogos envolvidos na escavação acreditam que alguém provavelmente jogou a peça de 20 centímetros no lixo quando a construção foi abandonada no século 4, durante a queda do Império Romano.

Os pesquisadores não sabem exatamente quem teria sido representado na estátua, embora eles tentam percebido semelhanças deste objeto com uma outra cabeça esculpida que foi descoberta em 1862. Esta última possuía inscrito o nome "Antenociticus" - uma divindade celta associada com rezas militares especifícas daquela região.

Os pesquisadores ficaram particularmente interessados no aspecto estético único da cabeça. que combina o estilo clássico romano com arte regional britânica. O objeto também parece ter características africanas, algo que poderia ser extremamente importante, mas no atual momento isto são apenas especulações.

A escavação foi conduzida em colaboração com a Universidade de Stanford em um trabalho para obter mais dados sobre a época que antecedeu a queda do Império Romano.

Artigo relacionado

Universidade de Durham

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org