Noticias do Meio


Cientistas querem transformar cenoura em combustível

CIENTISTAS QUEREM TRANSFORMAR CENOURA EM COMBUSTÍVEL


Cientistas espanhóis e argentinos têm trabalhado em conjunto em uma pesquisa que poderá resolver dois problemas de apenas uma vez. O problema é a questão do desperdício de alimento, no caso a cenoura, já que toneladas desta raiz são descartadas, pois o produto atende aos padrões de qualidade exigidos pelo mercado, pelo tamanho ou formato. A solução encontrada foi transformar esse alimento que é jogado fora em base de bioetanol, composto que pode ser obtido a partir da fermentação dos açúcares da cenoura.

Em um artigo publicado na revista Bioresource Technology, os pesquisadores explicam que o bioetanol pode ser obtido a partir de qualquer produto que contenha hidratos de carbono, mediante a fermentação alcoólica dos seus açúcares. É por essa razão que a cenoura se converte em um candidato ideal para este processo.

O método desenvolvido pelos cientistas fornece uma forma de separar os açúcares do sumo da cenoura por meio de fermentação alcoólica, onde leveduras transformam o açúcar em etanol e dióxido de carbono, para, finalmente, purificar o etanol pela destilação.

Este projeto inclui planos para construir uma fábrica para realizar o processo em grande escala, na província de Santa Fé, na Argentina, onde será possível processar até 10 toneladas de cenoura por dia.

Artigo relacionado

El Mundo

Descoberto enorme complexo sumério de 4 mil anos no Iraque

DESCOBERTO ENORME COMPLEXO SUMÉRIO DE 4 MIL ANOS NO IRAQUE



Um grande complexo de aproximadamente 4 mil anos foi encontrado por arqueólogos britânicos na antiga cidade de Ur, no Iraque. O achado tem o tamanho de um campo de futebol e é da mesma época em que Abraão viveu na cidade, de acordo com a Bíblia.

De acordo com Stuart Campbell, pesquisador da Universidade de Manchester, trata-se de uma descoberta “de tirar o fôlego”. Os envolvidos acreditam que o local deveria abrigar algum prédio público, que poderia tanto ter religiosos ou administrativos. Os cientistas ainda enfatizaram que descobertas deste porte são extremamente raras.

Ur foi a última capital dos sumérios, há 5 mil anos. Historicamente, esta região ficou conhecida como Mesopotâmia. Considerado um dos locais que abriga importantes vestígios de antigas civilizações, o Iraque somente agora volta a ser um campo explorado pelos arqueólogos por conta do longo processo de instabilidade política e social que afeta a região. Desde 1980 nenhuma equipe de britânicos explorava o local onde esta descoberta foi realizada.

Artigo relacionando

Universidade de Manchester

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org