Noticias do meio


ENCONTRADOS ELEMENTOS BÁSICOS PARA PRESENÇA DE VIDA EM MARTE

Encontrados elementos básicos para presença de vida em Marte

Uma amostra de uma rocha sedimentar coletada e triturada pelo robô Curiosity indicou que Marte pode ter sido um ambiente favorável para a vida microbiana, de acordo com informação divulgada pela Nasa. Análises deste fragmento indicaram a presença de nitrogênio, hidrogênio, oxigênio, fósforo, carbono e enxofre, elementos básicos à presença da vida.

Esta rocha foi coletada pelo Curiosity em um local chamado Baía Yellowknife que, em uma era remota do passado, era um local onde havia um lago ou rio com água, acreditam especialistas da Nasa. Por conta disso, a região pode ter oferecido condições para o surgimento de micro-organismos. Uma nova amostra de rochas será obtida e perfurada pelo Curiosity para confirmar os resultados.

"Está em evidência um período muito antigo, mas estranhamente diferente para nós, de que Marte já teve condições favoráveis para a vida em algum momento", afirmou John Grotzinger, pesquisador do Instituto de Tecnologia da Califórnia e da Nasa.

Artigo relacionado

Nasa

Cientistas clonam 26 gerações do mesmo camundongo

CIENTISTAS CLONAM 26 GERAÇÕES DO MESMO CAMUNDONGO



Pesquisadores japoneses fizeram um experimento único que pode dar início a um processo de reprodução em série de espécies de gado, selecionados geneticamente. O estudo que abre o caminho para esta revolução científica resume-se à produção de 26 gerações de clones do mesmo camundongo, começando sempre a partir do último animal clonado.

Até chegar a este resultado, foram produzidas ao todo 598 cobaias ao longo de sete anos, reproduzidas geneticamente a partir de um mesmo exemplar de origem. O estudo completo sobre o experimento foi publicado na revista norte-americana Cell Stem Cell. De acordo com cientistas envolvidos no trabalho do Centro Riken para o Desenvolvimento da Biologia, seria possível "a reprodução em massa de animais valiosos, inclusive após a morte das criaturas originais".

Isso poderia ser aplicado, por exemplo, à clonagem de uma vaca produtora de leite de alta qualidade, ou gado para produção de altos padrões de carne.

A técnica de reprodução aplicada aos camundongos é chamada de "transferência nuclear de células somáticas". Neste método, primeiro é extraído o núcleo de uma célula do animal que será clonado. O próximo passo é introduzir este núcleo em uma célula sexual feminina (ovócito) retirado de uma fêmea da mesma espécie, que será transplantado em uma mãe que irá gestar o clone. Depois, o núcleo de uma célula desse clone  é extraído para criar, com o mesmo método, um clone da próxima geração e assim por diante. Para realizar este procedimento diversas vezes, os cientistas também usaram um agente químico e realizaram algumas melhorias técnicas.

De acordo com o estudo, os clones têm características biológicas normais, como os camundongos "originais". Os clonados têm o mesmo tempo de vida e também podem se reproduzir. Algumas anomalias, contudo, foram observadas como o tamanho da placenta, mas isso não interferiria na vida das cobaias clonadas, de acordo com os pesquisadores.

Artigo relacionado

Cell Stem Cell

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org