Noticias do Meio



VIA LÁCTEA TERIA AO MENOS 17 BILHÕES DE PLANETAS DO TAMANHO DA TERRA
Via Láctea teria ao menos 17 bilhões de planetas do tamanho da Terra

Uma nova estimativa divulgada esta semana indica que a Via Láctea tem pelo menos 17 bilhões de planetas do tamanho da Terra. Contudo, apesar do expressivo número – no qual haveria ao menos dois planetas para cada habitante – ainda não foi encontrado um lugar que seja potencialmente habitável ou que seja uma espécie de “irmão gêmeo” da Terra. Entretanto, estes planetas estariam na zona habitável, uma área cujas temperaturas permitiriam a existência de água em estado líquido.

Os dados usados para esta estimativa são da sonda Kepler da Nasa. Dois grupos de pesquisadores trabalharam neste estudo: uma do Centro Harvard-Smithsonian Center para Astrofísica e outra da Universidade da Califórnia em Berkeley e da Universidade do Havaí.

O primeiro time calculou que há ao menos uma a cada seis estrelas da galáxia têm um planeta do tamanho da Terra em órbita. O segundo grupo usou outro método e determinou que 17% das estrelas da galáxia possuem sistemas com planetas entre uma e duas vezes o diâmetro da Terra.

Artigo relacionado

Centro Harvard-Smithsonian Center



PESQUISADORES ENCONTRAM TECIDO COM SANGUE DO REI FRANCÊS LUIS XVI
Pesquisadores encontram tecido com sangue do rei francês Luis XVI

Um pequena urna com sangue que seria do rei francês Luis XVI foi descoberta por uma equipe de cientistas franco-espanhola. Tanto o monarca quando sua esposa, Maria Antonieta, foram guilhotinados durante a Revolução Francesa.

De acordo com os pesquisadores, o DNA encontrado no objeto é bastante similar ao material genético que seria de Henrique IV, outro monarca francês, assassinado em 1610, e que teve a cabeça mumificada. Henrique IV e Luis XVI tinham a mesma herança genética repassada por seus pais.

Acredita-se que todos os que assistiram à morte de Luís XVI teriam molhado lenços com sangue do monarca, numa espécie de “souvenir revolucionário”. No caso, o pedaço de tecido manchado de sangue permaneceu com uma família italiana por mais de um século até ser encontrado pelos pesquisadores.

A urna era decorada com imagens de heróis da revolução francesa e as palavras: "No dia 21 de janeiro (de 1793, quando Luís XVI foi morto), Maximilien Bourdaloue molhou seu lenço no sangue de Luís XVI após sua decapitação". O estudo foi publicado na revista Forensic Science.

Artigo relacionado

Forensic Science

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org