Frase do Dia


Noticias do Meio



Somos a favor da vida!


O Uruguai tem agora uma lei que permite o aborto até 12.ª semana de gestação, com algumas restrições. Na América Latina, o aborto só era permitido em Cuba e na Cidade do México. Os que lutam contra a legalização do aborto no Brasil conhecem bem o discurso “reacionário e conservador” de quem acha que matar um ser humano, qualquer que seja a fase de sua gestação intrauterina, é ser “progressista”, “moderno” ou de esquerda. E foi evidentemente essa visão política e ideologicamente equivocada que prevaleceu no parlamento uruguaio.

No entanto, a oposição política e os movimentos sociais pró-vida uruguaios prometem travar uma dura e longa batalha, apresentando recursos à Suprema Corte e uma apelação à Corte Interamericana de Justiça à luz do Pacto de San José da Costa Rica, que, em seu artigo 4.º, prevê: “Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua vida. Esse direito deve ser protegido pela lei, em geral, desde o momento da concepção. Ninguém pode ser privado da vida arbitrariamente.” Além destas medidas, a oposição política uruguaia está disposta também a aprovar no Parlamento uruguaio a convocação de um referendo sobre esta lei do aborto.

Portanto, a polêmica não termina com a promulgação dessa norma jurídica. Os opositores do aborto não descansarão até a revogação desta lei, demore o tempo que for. Aliás, o movimento revisionista de leis liberalizantes da prática do aborto torna-se cada vez mais forte em diversos países, como nos Estados Unidos, na Espanha e em Portugal.

Não adianta apenas nos indignarmos quando isso acontece.

Precisamos entender que se trata de uma estratégia internacional arquitetada na Organização das Nações Unidas (ONU) e que vem, sistematicamente, exercendo forte pressão sobre os países nos quais a legislação interna coíbe a prática do aborto, como é o caso do Brasil; segundo essa estratégia, o aborto é um dos elementos integrantes da política internacional de controle populacional.

Esse plano inclui ainda o financiamento internacional de fundações americanas interessadas também na liberação do aborto por motivos outros, nem sempre claramente expressos.

Diante dessa estratégia, que conta com apoio da grande mídia em qualquer parte do mundo, resta aos que não pactuam com a cultura da morte – que tem como substrato político-ideológico uma concepção reducionista e coisificante da vida humana – afirmar os valores ético-morais que permeiam a dignidade da vida humana, sem os quais essa dignidade estará permanentemente vilipendiada e ameaçada.

Por fim, a aprovação do aborto em um país vizinho ao nosso só nos fortalece para continuarmos a lutar em defesa da vida humana, conscientizando e mobilizando permanentemente o povo brasileiro, que em várias pesquisas de opinião tem demonstrado que rechaçará toda e qualquer proposta de lei que queira descriminalizar o aborto em nosso país – vide a rejeição unânime do Projeto de Lei 1.135/1991 na Câmara dos Deputados. E tudo indica que o mesmo acontecerá com as propostas liberalizantes em relação ao aborto e à eutanásia na proposta de revisão do Código Penal que ora tramita no Senado Federal.

Jaime Ferreira Lopes, bacharel em Direito e em Filosofia, é vice-presidente nacional executivo do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida (Brasil Sem Aborto)

Programas que Amamos

Banner da página de programas
Mensagem: Como um guepardo ou como uma tartaruga?

Ouça

Noticias do Meio


Equipe evita suicídios na cidade de NY


Todo ano, o Departamento de Polícia de Nova York recebe centenas de ligações pelo número 911 sobre pessoas que ameaçam saltar de pontes e telhados. Neste ano, o número já está quase superando o total do ano passado, 519.
O socorro é feito por um  grupo seleto que resgata possíveis suicidas,  os oficiais da unidade fazem um curso de três semanas para ser técnicos médicos de emergência certificados e um curso de uma semana de psicologia de emergência.
Dois detetives se aproximavam lentamente de um homem desesperado que ameaçava saltar de uma borda de concreto da ponte George Washington, a mais de 60 metros acima do rio Hudson. Se ele saltasse, a queda, que deveria alcançar a velocidade de mais de 95 quilômetros por hora, certamente seria fatal.
Os detetives amarrados à ponte e à sua caminhonete de resgate aguardam um momento de dúvida para dar início a uma conversa.  
A Unidade de Serviço de Emergência não é uma das tarefas mais cobiçadas no Departamento de Polícia. Os oficiais têm de passar em uma entrevista, um teste de agilidade e um teste de natação. Os policiais escolhidos treinam durante pelo menos seis meses. Eles também aprendem a apagar incêndios, retirar vítimas de carros acidentados e resgatar pessoas de águas agitadas.
A oportunidade de ajudar as pessoas, dando-lhes uma segunda chance, parece um privilégio, disse o detetive Dennis Canale.
Por: Wendy Ruderman

Elba Ramalho irá participar da Marcha em Favor da Vida


Neste domingo, 11 de novembro, a cidade de Fortaleza realiza a Marcha em Favor da Vida, a concentração será a partir das 16 horas no Aterro da Praia de Iracema, próximo ao Clube Ideal. Neste domingo 11 de Novembro acontece em Fortaleza, CE, a Marcha em Favor da Vida, o evento contará com a participação especial da cantora Elba Ramalho.
A cantora Elba Ramalho que é voluntária do movimento há cinco anos participou do Jornal Nova Era desta sexta-feira e falou sobre a sua participação.
A cantora chegou a gravar um vídeo em favor da recente campanha “Municípios em Defesa da Vida - A vida depende do seu voto que você pode conferir neste link:
http://www.youtube.com/watch?v=JngXjIHjElg&feature=player_embedded
Os organizadores convidam a população de Fortaleza e esperam contar com a presença de todas as pessoas que defendem a vida desde a concepção.

Saiba Mais

Emanuel Von Swedenborg

Foto de Emanuel Von Swedenborg

Emanuel von Swedenborg, nascido em Estocolmo a 29 de janeiro de 1688, filho de um bispo da Igreja luterana sueca, viveu na austera atmosfera evangélica alguns anos de sua vida. Foi profundo estudioso da Bíblia.

Swedenborg nasceu foi educado pela nobreza de sua pátria, deslocando-se para Londres onde iniciou-se a sua "iluminação", porquanto desde o dia de sua primeira visão até a seu desencarne, 27 anos após, esteve ele em contínuo contato com o mundo espiritual de maneira ostensiva. Naquela noite, diz ele, o mundo dos espíritos, do céu e do inferno abriu-se convincentemente para mim e aí encontrei, muitas pessoas do meu conhecimento e de todas as condições. Desde então diariamente o Senhor abria os olhos do meu espírito para ver, perfeitamente desperto, o que se passava no outro mundo e para conversar, em plena consciência, com os anjos e espíritos.
Swedenborg, considerado como precursor do Espiritismo, foi antes de tudo um homem de gênio, cuja genialidade empolgada o fez perder-se em algumas interpretações, naquilo que lhe era dito ou mostrado. Aceitava a Bíblia como obra de Deus, com significação diferente de seu óbvio sentido e que ele, só ele, ajudado pelos anjos seria capaz de transmitir aquele verdadeiro sentido. Essa pretensão é intolerável e por causa dela a sua obra tornou-se contraditória e nem sempre inteligível como simples e compreensíveis são os ensinamentos dos missionários quando têm por missão divulgar as leis divinas.
Swedenborg era certamente em sua época, o homem que mais conhecimentos detinha em seu possante cérebro. Era um grande engenheiro de minas e uma autoridade em metalurgia. Foi o engenheiro militiar que mudou a sorte de uma das muitas campanhas de Carlos XII, da Suécia. Era uma grande autoridade em Física e em Astronomia, autor de importantes trabalhos sobre as marés e sobre a determinação das latitudes. Era zoologista e anatomista. Financista e político, antecipou-se às conclusões de Adam Smith. Finalmente, era um profundo estudioso da bíblia, procedimento este que lhe marcou de maneira negativa a obra fenomenal que realizou no campo intelectual.
Em suas visões o médium falava de uma espécie de vapor que exalava dos poros do seu corpo, que sendo aquoso e muito visível caía no solo sobre o tapete. É uma perfeita descrição do ectoplasma utilizado nos efeitos físicos. Em uma dessas visões Swedenborg descreveu um incêndio em Estocolmo, a 300 milhas de distância, com perfeita exatidão. Estava ele em um jantar acompanhado de 16 pessoas que serviram como testemunhas do evento, investigado pelo grande filósofo Kant. A partir de então ele teve o privilégio de examinar várias esferas do outro mundo e, conquanto as suas idéias sobre teologia tivessem marcado as suas descrições, por outro lado a sua imensa cultura lhe permitiu excepcional poder de comparação e de observação.
Eis alguns fatos por ele observados em suas jornadas: verificou que o outro mundo, para onde vamos após a morte, consiste de várias esferas, representando outros tantos graus de luminosidade e de felicidade; cada um de nós ir para aquela a que se adapta à nossa condição espiritual. Somos julgados automaticamente, por uma lei espiritual das similitudes; o resultado é determinado pelo resultado global de nossa vida, de modo que a absolvição ou o arrependimento no leito de morte têm pouco proveito. Nessas esferas verificou que o cenário e as condições deste mundo eram reproduzidas fielmente, do mesmo modo que a estrutura da sociedade. Viu casas onde viviam famílias, templos onde praticavam culto, auditórios onde se reuniam para fins sociais, palácios onde deviam morar os chefes.
A morte era suave, dada a presença de seres celestiais que ajudavam os recém-chegados na sua nova existência. Esses recém-vindos passavam imediatamente por um período de absoluto repouso. Reconquistavam a consciência em poucos dias, segundo a nossa contagem. Havia anjos e demônios, mas não eram de ordem diversa da nossa: eram seres humanos, que tinham vivido na terra e que ou eram almas retardatárias, como demônios, ou altamente desenvolvidas, como anjos.
De modo algum mudamos com a morte. O homem nada perde pela morte: sob todos os pontos de vista é ainda um homem, conquanto mais perfeito do que quando na matéria. Leva consigo não só as suas forças, mas os seus hábitos mentais adquiridos, as suas preocupações, os seus preconceitos. Todas as crianças eram recebidas igualmente, fossem ou não batizadas. Cresciam no outro mundo; jovens lhes serviam de mães, até que chegassem as mães verdadeiras.
Não havia penas eternas. Os que se achavam nos infernos podiam trabalhar para a sua saída, desde que sentissem vontade. Os que se achavam no céu não tinham lugar permanente: trabalhavam por uma posição mais elevada.
Havia casamento sob a forma de união espiritual no mundo próximo, onde um homem e uma mulher constituíam uma unidade completa. É de notar-se que Swedenborg jamais se casou.
Não havia detalhes insignificantes para a sua observação no mundo espeitual. Fala de arquitetura, do artesanato, das flores, dos frutos, dos bordados, da arte, da música, da literatura, da ciência, das escolas dos museus, das academias, das bibliotecas e dos esportes. Nada lhe fugia a observação, embora que algumas vezes tenha enxertado ao ensinamento recebido as suas convicções pessoais amortecendo o brilho da revelação.
Todavia, Swedenborg foi o primeiro e, sob vários aspectos, um grande médium, sujeitos aos erros e acertos decorrentes da mediunidade quando não devidamewnte educada. Seu trabalho foi de imenso valor, no que tange aos ensinos que seriam confirmados pelo Espiritismo, e pode-se dizer que, pondo-se de lado a sua exegese bíblica, a sua obra foi um marco, um porto seguro, no imenso oceano de superstições e fanatismo em que viviam os homens de sua época.

Noticias do Meio


BALEIAS EXTREMAMENTE RARAS SÃO ENCONTRADAS NA NOVA ZELÂNDIA
Baleias extremamente raras são encontradas na Nova Zelândia

Dois exemplares de uma espécie praticamente desconhecida de baleia, considerada pela ciência a mais rara do mundo, foram encontrados pela primeira vez na Costa da Nova Zelândia, onde uma mãe e seu filhote morreram encalhados em uma praia de Opape. Com isso, pela primeira vez, pesquisadores da Universidade de Auckland puderam realizar uma análise completa deste animal. Trata-se do Mesoplodon traversii, também conhecido como baleia-bicuda-de-bahamonde, animal que vive no Oceano Pacífico e se alimenta de lulas e peixes pequenos. Ele tem um dente afiado de 23 centímetros de largura e seu corpo mede cinco metros de comprimento.

As baleias foram encontradas em dezembro de 2010, mas o estudo só foi revelado no começo desta semana. Até então, as únicas evidências dessa baleia eram dois crânios, encontrados no Chile e na Nova Zelândia, de acordo com artigo publicado na revista Current Biology. Esta surpreendente descoberta aponta para o fato inquietante de que se um animal deste tamanho seguiu desconhecido até agora então quantos outros ainda seguiriam ocultos à ciência?

Artigo relacionado
Current Biology


PERU RECEBE DE VOLTA MÚMIA DE 700 ANOS APREENDIDA NA BOLÍVIA
Peru recebe de volta múmia de 700 anos apreendida na Bolívia

Uma múmia peruana foi recuperada de contrabandistas na Bolívia há dois anos e, finalmente, devolvida ao seu país de origem. A múmia, de 700 anos de idade e 30 centímetros, dataria entre 1200 e 1450, e seria de uma criança. Especialistas afirmam que a múmia é autêntica, mas eles acreditam que uma perna foi adicionada pelos contrabandistas para aumentar seu valor no mercado ilegal.

Quando foi recuperada, a múmia estava enrolada em cinco camadas de algodão e lã e estava com uma mulher que pretendia enviá-la dentro de uma caixa para a França, onde ela seria leiloada.

Artigo relacionado

BBC

Lição de Vida


Um grupo de alunos estudava sobre as sete maravilhas do mundo. No final da aula, foi pedido aos estudantes que fizessem uma lista do que consideravam as sete maravilhas. Embora existissem várias opiniões contrárias, começaram os votos:
1) As Cataratas do Iguaçu
2) A Muralha da China
3) A Torre Eiffel
4) As Pirâmides do Egito
5) O Cristo Redentor
6) A Estátua da Liberdade
7) A Basílica de São Pedro
Ao recolher os votos, o professor notou uma aluna muito quieta. A menina não tinha virado sua folha ainda. O professor então, perguntou a ela se tinha problemas para fazer sua lista. A estudante respondeu:
- Sim, professor .... quer dizer, um pouco. Eu não consigo fazer a lista, porque são muitas maravilhas...
O professor insistiu:
- Bem, então, fale o que você já tem e talvez nós possamos ajudá-la.
A menina demorou um pouco, mas começou:
- Eu penso que as sete maravilhas do mundo sejam:
1 – tocar
2 – sentir o sabor
3 - ver
4 - ouvir
Deu uma pequena pausa e continuou:
5 - sentir
6 – rir
7 - E ... amar ...
A sala de aula, então, ficou completamente em silêncio...
LIÇÃO DE VIDA:
A partir de hoje, lembre-se sempre das coisas que são verdadeiramente maravilhosas e importantes na sua vida!!!

Imagens que passam em nosso Tumblr


Josh Bernard



Nosso Lar/Cap 10

Saiba Mais


Hachiko


Hachiko

Nascimento 10 de novembro de 1923
Odate, Akita, Japão
Morte 8 de março de 1935 (11 anos)
Shibuya, Japão
Nacionalidade Japonesa
Hachikō (em japonês: ハチ公), conhecido em japonês como cão fiel Hachikō (忠犬ハチ公 chūken Hachikō?)" em tradução livre, foi um cão da raça akita nascido em 10 de novembro de 1923 na cidade de Ōdate, na Prefeitura de Akita. É lembrado por sua lealdade a seu dono, que perdurou mesmo após a morte deste.

Em 1924, Hachikō foi trazido a Tóquio pelo seu dono, Hidesaburō Ueno, um professor do departamento de agricultura da Universidade de Tóquio. O professor Ueno, que sempre foi um amante de cães, nomeou-o Hachi (Hachikō é o diminutivo de Hachi) e o encheu de amor e carinho. Hachikō acompanhava Ueno desde a porta de casa até à, não distante, estação de trens de Shibuya, retornando para encontrá-lo ao final do dia. A visão dos dois, que chegavam na estação de manhã e voltavam para casa juntos na noite, impressionava profundamente todos os transeuntes. A rotina continuou até maio do ano seguinte, quando numa tarde o professor não retornou em seu usual trem, como de costume. A vida feliz de Hachikō como o animal de estimação do professor Ueno foi interrompida apenas um ano e quatro meses depois. Ueno sofrera um AVC na universidade naquele dia, nunca mais retornando à estação onde sempre o esperara Hachikō.
Em 21 de maio de 1925, o professor Ueno sofreu um derrame súbito durante uma reunião do corpo docente e morreu. A história diz que, na noite do velório, Hachikō, que estava no jardim, quebrou as portas de vidro da casa e fez o seu caminho para a sala onde o corpo foi colocado e passou a noite deitado ao lado de seu mestre, recusando-se a ceder. Outro relato diz como, quando chegou a hora de colocar vários objetos particularmente amados pelo falecido no caixão com o corpo, Hachikō pulou dentro do caixão e tentou resistir a todas as tentativas de removê-lo.
Depois que seu dono morreu, Hachikō foi enviado para viver com parentes do professor Ueno, que moravam em Asakusa, no leste de Tóquio. Mas ele fugiu várias vezes e voltou para a casa em Shibuya, e, quando um ano se passou e ele ainda não tinha se acostumado à sua nova casa, ele foi dado ao ex-jardineiro do Professor Ueno, que conhecia Hachi desde que ele era um filhote. Mas Hachikō fugiu daquela casa várias vezes também. Ao perceber que seu antigo mestre já não morava na casa em Shibuya, Hachikō ía todos os dias à estação de Shibuya, da mesma forma como ele sempre fazia, e esperou que ele voltasse para casa. Todo dia ele ía e procurava a figura do professor Ueno entre os passageiros, saindo somente quando as dores da fome o obrigavam. E ele fez isso dia após dia, ano após ano, em meio aos apressados passageiros. Hachikō esperava pelo retorno de seu dono e amigo.
A figura permanente do cão à espera de seu dono atraiu a atenção de alguns transeuntes. Muitos deles, frequentadores da estação de Shibuya, já haviam visto Hachikō e o professor Ueno indo e vindo diariamente no passado. Percebendo que o cão esperava em vão a volta de seu mestre, ficaram tocados e passaram, então, a trazer petiscos e comida para aliviar sua vigília.
Por dez anos contínuos Hachikō aparecia ao final da tarde, precisamente no momento de desembarque do trem na estação, na esperança de reencontrar-se com seu dono.
Hachikō finalmente começou a ser percebido pelas pessoas na estação de Shibuya. Naquele mesmo ano, um dos fiéis alunos de Ueno viu o cachorro na estação e o seguiu até a residência dos Kobayashi, onde conheceu a história da vida de Hachikō. Coincidentemente o aluno era um pesquisador da raça Akita e, logo após seu encontro com Hachikō, publicou um censo de Akitas no Japão. Na época, havia apenas 30 Akitas puro-sangue restantes no país, incluindo Hachikō da estação de Shibuya. O antigo aluno do Professor Ueno retornou frequentemente para visitar o cachorro e durante muitos anos publicou diversos artigos sobre a marcante lealdade de Hachikō.
Sua história foi enviada para o Asahi Shinbun, um dos principais jornais do país, onde foi publicada em setembro de 1932. O escritor tinha interesse em Hachikō e, prontamente, enviou fotografias e detalhes sobre ele para uma revista especializada em cães japoneses. Uma foto de Hachikō tinha também aparecido em uma enciclopédia sobre cães, publicada no exterior. No entanto, quando um grande jornal nacional assumiu a história de Hachikō, todo o povo japonês soube sobre ele e se tornou uma espécie de celebridade, uma sensação nacional. Sua devoção à memória de seu mestre impressionou o povo japonês e se tornou modelo de dedicação à memória da família. Pais e professores usavam Hachikō como exemplo para educar crianças.
Em 21 de abril de 1934, uma estátua de bronze de Hachikō, esculpida pelo renomado escultor Tern Ando, foi erguida em frente ao portão de bilheteria da estação de Shibuya, com um poema gravado em um cartaz intitulado "Linhas para um cão leal". A cerimônia de inauguração foi uma grande ocasião, com a participação do neto do professor Ueno e uma multidão de pessoas. Pelo país afora a fama de Hachi se espalhou e a raça Akita cresceu. Hachi foi convidado várias vezes para aparecer como um convidado em mostras de cães, e também miniaturas e cartões postais dele começaram a ser feitos.
Porém, mais tarde, a figura e lenda de Hachikō foi distorcida e usada como símbolo de lealdade ao Estado, aparecendo em propagandas que difundiam o fanatismo nacionalista que acabaram levando o país à Segunda Guerra Sino-Japonesa, no final da década de 1930 e também à Segunda Guerra Mundial. Lamentavelmente, a primeira estátua foi removida e derretida para armamentos durante a Segunda Guerra Mundial, em abril de 1944. No entanto, em 1948 uma réplica foi feita por Takeshi Ando, filho do escultor original, e reintegrada no mesmo lugar da anterior, em uma cerimônia em 15 de agosto. Esta é a estátua que está, ainda hoje, na Estação de Shibuya e é um ponto de encontro extremamente famoso e popular.
[editar]Morte

A fama repentina de Hachikō fez pouca diferença para a sua vida, pois ele continuou exatamente da mesma maneira como antes. Todo dia, ele partia para a estação de Shibuya e esperava lá pelo Professor Ueno para voltar para casa. Em 1929, Hachikō contraiu um caso grave de sarna, que quase o matou. Devido aos anos passados nas ruas, ele estava magro e com feridas das brigas com outros cães. Uma de suas orelhas já não se levantava mais, e ele já estava com uma aparência miserável, não parecendo mais com a criatura orgulhosa e forte que tinha sido uma vez. Ele poderia ter sido confundido com qualquer cão mestiço.
Como Hachiko envelheceu, tornou-se muito fraco e sofria de dirofilariose, um verme que ataca o coração. Na madrugada de 8 de março de 1934, com idade de 11 anos, ele deu seu último suspiro em uma rua lateral à estação de Shibuya. A duração total de tempo que ele tinha esperado, saudoso, seu mestre, foi de nove anos e dez meses. A morte de Hachikō estampou as primeiras páginas dos principais jornais japoneses e muitas pessoas ficaram inconsoláveis com a notícia. Um dia de luto foi declarado.
Seus ossos foram enterrados em um canto da sepultura do professor Ueno (no Cemitério Aoyama, Minami-Aoyama, Minato-ku, Tóquio), para que ele finalmente se reencontrasse com o mestre a quem ele havia ansiado por tantos anos. Sua pele foi preservada e uma figura empalhada de Hachikō pode ainda ser vista no Museu Nacional de Ciências em Ueno.
Todo dia 8 de Abril é realizada uma cerimônia solene na estação de trem, em homenagem à história do cão leal.
A lealdade dos cães da raça Akita já era conhecida pelo povo japonês há muito tempo. Em uma certa região do Japão, incontáveis são as histórias de cães desta raça que perderam suas vidas ao defenderem a vida de seus proprietários.
Onde quer que estejam e para aonde quer que vão, têm sempre "um dos olhos" voltados para aqueles que deles cuidam. Por causa desse zelo, o Akita se tornou Patrimônio Nacional do povo japonês, tendo sido proibida sua exportação.
Se algum proprietário não tiver condições financeiras de manter seu Akita, o governo japonês assume sua guarda.
Devido a todas suas qualidades, uma das províncias japonesas recebeu seu nome, Akita-Ken

Nosso Lar/Cap 09


Noticias do meio


O Festival de Parintins é a cara do Brasil

Apresentação do Boi Caprichoso no 47º Festival Folclórico de Parintins, no Amazonas, na noite de sábado (30)
O Brasil é sobressaliente, seu misticismo, o folclore mais verde do mundo, sua alegria contagiante, o seu não importar com os problemas e apesar de tudo divertir-se acima de qualquer divergência, marcam com intensidade a característica do brasileiro em sua total simplicidade.
Uma Ilha encantada, Parintins é a cidade que vibra em uma das competições mais mágicas e representativas do folclore brasileiro, eventualmente o povo carrega consigo toda a lealdade ao boi, seja ele o Caprichoso ou o Garantido, veste a camisa, usam de atributos representando a cor do boi seja azul ou vermelha, pintam o rosto, os muros as calçadas, mostram ao mundo a sua escolha e dedicam-se a este evento tão mágico e enriquecedor voltando os olhares a um pedacinho tão simples do Brasil.
Encarando o Brasil como o país da alegria e das festividades, com uma mistura de folclore e cultura "na veia" salientamos o festival folclórico de Parintins, baseado em uma lenda onde Mãe Catirina em um de seus desejos devido à gravidez, sentiu-se na vontade de comer a língua de um boi, Pai Francisco mais que depressa manda matar o boi de estimação do patrão para satisfazer tal desejo, após o ocorrido, Pai Francisco tenta fugir, mas é preso, e para salvar o boi procuraram um pajé no intuito de ressuscitar o bicho. Após o feitio, e o boi voltar à vida, Pai Francisco e Mãe Catirina é perdoado e em comemoração formaram uma grande festa.
Surge então a festa que encanta pela arte e história. Entra em cena destacando a competição, o boi-bumbá, que representa a ressurreição do boi segundo a lenda. O povo de Parintins apesar de sua simplicidade vive um cotidiano cercado pela desenvoltura da arte, são dotados de dons que desde muito pequeno e devido a grande influência cultural, fazem de suas rotinas um momento propicio á criar, sejam estas uma música, uma dança, uma escultura ou uma pintura. Partindo deste lago de criadores, e munido a um povo marcante na história do Brasil, acabaram por tornar esta explosão criativa no que conhecemos como Festival de Parintins, que teve inicio em 1965, criada por Raimundo Muniz, e mais adiante atraindo milhares de pessoas e enriquecendo a cultura. Apesar da competitividade entre o as duas associações que disputam anualmente, eles desenvolvem um excelentíssimo trabalho artístico que se assemelha ao carnaval, e a competição é entre dois grupos, o Boi Garantido representado pela cor vermelha e o Boi Caprichoso pela cor azul. A preparação estende-se por todo o ano, a dedicação e o prazer na elaboração das apresentações, fantasias, textos e escolhas de seus representantes são construídos sob muito afinco. A avaliação tem certas restrições e variam desde a desenvoltura do apresentador a movimentação da "galera / público" que fica na torcida pelo clube associado. E existe uma grande troca de respeito entre os disputantes, isso influência em muito é um dos quesitos de avaliação e torna a festa tranquila e divertida dentro de suas associações, toda a interpretação e desenvoltura dentro do folclore do Amazonas são avaliados. A beleza feminina, os costumes, os trajes, os versos, o som do berrante entre outros como a boa música fazem do festival uma competição calorosa onde a abrangência de um rigor cultural enfatiza com total harmonia as características de um pedacinho deste país tão simbólico e afável como o Brasil.
Vale a pena conferir, o festival é realizado anualmente no último fim de semana do mês de Junho no estádio do Bumbódromo que criado preferencialmente para atender o festival e que tem o formato da cabeça de um boi estilizada fazendo menção a festa do boi.

Suzuka 1988 - Ultima volta + Entrevista

Frase do dia


Aurora Carnaval Legal


  • Transmissão ao vivo da final do Concurso de Rei Momo e Rainha do Carnaval, com show de imagens e áudio é aqui!!!!!http://t.co/FpgjKX30
  • Candidata Clara Paixão na passarela. Veja aquihttp://t.co/FpgjKX30
  • Terminou a apresentação dos candidatos a Rei Momo na Cidade do Samba. Agora vêm as meninas. Veja aquihttp://t.co/FpgjKX30
  • Nova entrada do nosso barracãohttp://t.co/CDJNITXT
  • Atenção! Assembleia geral hoje (quinta, 8) as 20h na quadra! Compareçam!
  • Mariana Gross, Alex Escobar e o nosso vice presidente social Egas Muniz na quadra do Império Serrano! Vem coisa...http://t.co/FHaeQnPk
  • Publiquei 73 fotos no Facebook no álbum "Ensaio técnico de quadra - 07 / Novembro"http://t.co/MU2rDGbN
  • O dia está lindo para um passeio no Jardim Botânico.. Que tal? Foto: Pedro Kirilos | Rioturhttp://t.co/O0TaGrfZ
  • O dia está lindo para um passeio no Jardim Botânico.. Que tal? Foto: Pedro Kirilos | Rioturhttp://t.co/xHlzNLGH
  • O dia está lindo para um passeio no Jardim Botânico.. Que tal? Foto: Pedro Kirilos | Rioturhttp://t.co/scV

Noticias do Meio


China inicia escolha de nova liderança


O chinês Xi Jinping de 59 anos, nunca disputou uma eleição e pouco se sabe sobre suas opiniões acerca da economia mundial ou do aquecimento global.
Para muitos chineses, é mais fácil reconhecê-lo como marido de uma popular cantora folk, apesar disso Xi Jinping está prestes a se tornar o homem mais poderoso da China, como líder do dominante Partido Comunista em um congresso que só ocorre uma vez a cada década e que tem início nesta quinta-feira.
As transferências de poder no país, ainda feitas sob extremo sigilo, têm provocado tensão e incertezas. Mas, agora, com a China ocupando o posto de segunda maior economia do mundo e de uma superpotência em ascensão, as visões do novo líder realmente importam.
Os atuais líderes chineses, sob o comando do presidente Hu Jintao, estão no poder desde 2002 e são considerados como a "quarta geração" a governar o país desde que o Partido Comunista tomou o poder, em 1949.
Xi Jinping, pertence ao comitê, daria início à quinta geração e gradualmente assumiria os poderes e títulos hoje conferidos a Hu.
Fonte: BBC BRASIL

Desemprego: realidade mundial


 Iniciado por diversas causas, entre elas a evolução tecnológica e o despreparo profissional, o desemprego também tem em sua origem o egoísmo.
Causando uma irreparável consequência para a harmonia social, é um grande desafio conciliar emprego e renda, em inúmeros países.
Todo homem possui o direito ao trabalho, até mesmo os deficientes físicos e visuais devem ter a oportunidade de colocar em prática suas habilidades em alguma atividade.
O desemprego gera uma enorme insatisfação, sentimento de derrota e perda de autoestima.
A solução deste flagelo mundial encontra-se na solidariedade entre a humanidade com a diminuição da ganância, criando condições de qualificação aos profissionais e a estes resta entender que o fundamental é renunciar ao materialismo e se apoiar cada vez mais na sua evolução moral.

Brasileiros honestos pagam 17% a mais na energia, para sustentar os gatos na rede elétrica


O roubo de energia elétrica sai caro para os brasileiros que são honestos e pagam suas contas em dia.
Pelos cálculos das empresas distribuidoras de eletricidade, só na cidade do Rio de Janeiro os gatos na rede roubam o equivalente a toda a produção da usina nuclear de Angra Um.
A maior dificuldade é fazer a fiscalização nas favelas instaladas nos morros cariocas, onde os traficantes impedem a chegada dos técnicos. Mas até um clube e dois hotéis de Copacabana foram pegos roubando energia.
O presidente da Associação das distribuidoras, Nelson Fonseca Leite, informa que nos próximos meses a conta vai ficar ainda maior para os honestos, que agem dentro da lei. As usinas movidas a óleo vão ser ligadas por causa da falta de chuvas e o custo dessa energia é maior.
Só que os ladrões de eletricidade continuam a gastar tudo o que podem, pois esse aumento fica fora do bolso deles. Muitos se dão mal com essa atividade criminosa.
No espaço de dez anos, 444 pessoas morreram eletrocutadas ou em quedas, quando faziam gatos na rede elétrica.

Noticias do meio



DESCOBERTA “SUPER-TERRA” QUE TERIA CICLO DO DIA E DA NOITE PARECIDO COM O DO NOSSO PLANETA
Descoberta “Super-Terra” que teria ciclo do dia e da noite parecido com o do nosso planeta

Um novo candidato a planeta habitável foi descoberto por um grupo internacional de pesquisadores após análise dos dados do espectrógrafo Harps, do ESO (Observatório Europeu do Sul). Trata-se do HD 40307g, classificado como uma Super-Terra, que seria o sexto planeta a orbitar a estrela HD 40307, a 44 anos-luz da Terra.

O exoplaneta está a uma distância de 90 milhões de quilômetros da estrela, o que o coloca na chamada “zona habitável”, a região de um sistema planetário onde a água líquida pode existir na superfície de um planeta. O planetas Terra e Marte, por exemplo, orbitam a zona habitável do nosso sol.

A massa do HD 40307g é ao menos sete vezes a da Terra e para ele fazer a rotação em torno Sol são necessários 197.8 dias terrestres. Além disso, de acordo com os pesquisadores, o exoplaneta teria os o ciclo da noite e do dia parecido com o da Terra, o que aumentaria as expectativas de encontrar um ambiente para o desenvolvimento de alguma forma de vida. A pesquisa foi conduzida por Mikko Tuomi, da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, e Guillem Anglada- Escudé, da Universidade de Göttingen, na Alemanha.

Artigo relacionado

Planetary Habitability Laboratory

Lição de Vida


Sérgio era um homem bem sucedido e tinha tudo o que queria. Mas mesmo assim, sentia um vazio em seu coração. E, sofria de pavor, ansiedade e insônia. Às vezes tomava até remédios para se livrar daqueles problemas.
Certo dia, indo para o trabalho, pelo mesmo caminho que fazia, o trânsito parou. Um guarda estava orientando os motoristas a fazer um desvio para uma rua estreita, pois um encanamento tinha se rompido na avenida principal, justamente a que Sérgio pegava para chegar mais rápido ao trabalho.
Ele também seguiu para a rua estreita. Dirigindo devagar pela via desconhecida, Sérgio passou em frente à uma igreja, onde leu um cartaz escrito à mão que dizia: "Sem Deus não há paz! Se entregue a Jesus e conheça a paz. Todos são bem-vindos!".
Sérgio achou estranho e seguiu seu caminho.
No dia seguinte, fez o mesmo trajeto e, novamente o trânsito parou. Desta vez o motivo era um incêndio em uma loja. E, outra vez o trânsito foi desviado para a estreita rua. Sérgio, irritado, falou:
Droga! De novo esse transtorno!
E novamente Sérgio passou em frente à igreja. Lá estava o cartaz, que mais uma vez chamou sua atenção. Porém, ele parou e deu uma olhada para dentro da igreja.
No terceiro dia, Sérgio pensou em mudar o trajeto. Mas achou que estava sendo muito bobo, afinal, qual era a probabilidade de, em três dias seguidos, ter um desvio do trânsito no mesmo local?
Sérgio pensou: "Vai ser um teste. Se acontecer alguma coisa e o trânsito for desviado, vou ter certeza de que é um sinal e, desta vez entro na igreja".
Quando Sérgio chegou na avenida, lá estavam os policiais outra vez. Um grande acidente havia acontecido, conforme explicou um dos guardas que estava desviando o trânsito para a rua estreita, novamente.
Sérgio falou:
- Assim já é demais! Três dias seguidos de problemas e, mais uma vez vamos desviar para aquela rua estreita!
Então, ao passar em frente à igreja, ele decidiu parar e entrar.
Lá estava o padre da paróquia, que se aproximou, sorriu para Sérgio e perguntou:
Por que demorou tanto?
Sérgio não entendeu a pergunta, e o padre, então, explicou que o viu passar de carro em frente à igreja nos últimos três dias.
Os dois conversaram e como resultado, Sérgio passou a freqüentar a pequena igreja.
Finalmente Sérgio encontrou a paz e a serenidade que estava precisando.
LIÇÃO DE VIDA:
Para Deus não existe coincidência e sim, providência.
Por isso, por maior que seja a dificuldade, não desanime e jamais perca a fé!!!

Noticias do Meio


Verduras e frutas de um jeito que você nunca viu


Por  | 
Esculturas com vegetais? Essa é a proposta da fotógrafa inglesa Ilian Iliev, especialista em fotografar comidas e bebidas.
Deu fome? Encontre onde comer aqui no guia colaborativo de bares, baladas, filmes e restaurantes, o Guidu!

Noticias do Meio


Internado, Ney Latorraca tem Miguel Falabella como responsável por possível cobrança extra

Ator está internado em estado gravíssimo (Foto: AgNews)
Ney Latorraca, 68, segue internado em estado estável na CTI da Clínica São José, no Rio de Janeiro. Quem é o responsável pelo ator é o amigo Miguel Falabella, que está no rodapé do prontuário de Ney para quaisquer eventuais cobranças extras, de acordo com o colunista Leo Dias do jornal "O Dia" desta quinta-feira (8).
A internação de Ney, aliás, tem causado grande comoção entre seus amigos. Segundo a publicação, Maitê Proença esteve no hospital e exigiu à equipe médica que o ator fosse transferido para o Sírio-Libânes, em São Paulo, considerado por ela mais bem preparado para recebê-lo. O pedido da atriz foi negado, já que ela foi informada por uma das enfermeiras que o estado de saúde do amigo era grave para que ele fosse transferido.
Ney respira com ajuda de aparelhos depois de uma inflamação generalizada. Ele está sendo medicado com noradrenalina, que mantém os níveis normais da pressão arterial. Na televisão, O ator pode ser visto atualmente na reprise de "Da Cor do Pecado", do "Vale a pena ver de novo". Seu último trabalho foi uma participação em "A Grande Família".

Imagens que passam em nosso Tumblr




Saiba Mais



Yvonne do Amaral Pereira (Valença[nota 1]24 de dezembro de 1900 — Rio de Janeiro9 de março de 1984) foi uma médium brasileira, autora de diversos livros psicografados.

Yvone Pereira foi uma das mais respeitadas médiuns brasileiras, autora de romances psicografados bastante conhecidos entre os espíritas. Dedicou-se por muitos anos à desobsessão e ao receituário mediúnico homeopático.Biografia

Filha de Manuel José Pereira Filho, um pequeno comerciante, e de Elizabeth do Amaral, foi a primeira de seis filhos do casal. A mãe já havia tido um filho de seu primeiro casamento.
Recém-nascida, com apenas 29 dias, teve um acesso de tosse que a sufocou, deixando-a em estado de catalepsia, em que se manteve por seis horas. O médico e o farmacêutico da localidade chegaram a atestar o óbito por sufocação. A família preparou o corpo da bebê para o velório, colocando-lhe um vestido branco e azul, adornando-a com uma grinalda, enquanto aguardava o pequeno caixão branco da praxe. Nesse momento, sua mãe retirou-se para o interior da residência da família para orar. [carece de fontes] Momentos depois, a bebê acordou, chorando.
Yvonne cresceu numa família espírita. O pai enfrentou a falência comercial por três vezes. Posteriormente viria a tornar-se funcionário público, cargo que ocupou até o fim da vida, em 1935. Era comum a família abrigar pessoas necessitadas, vivências que, segundo Yvone, marcariam sua vida para sempre.
Com quatro anos de idade, a menina já dizia ver e ouvir espíritos, os quais, segundo ela, considerava como pessoas normais. Dois dos amigos invisíveis apareciam com mais freqüência:
  • Charles, a quem ela considerava seu verdadeiro pai, devido a lembranças que teria de uma encarnação anterior, em que a "entidade" teria sido seu pai.
  • Roberto de Canalejas, que teria sido um médico espanhol de meados do século XIX.
As visões lhe perturbavam, e vinham junto com uma imensa saudade do que seria uma encarnação anterior, na Espanha, que, dizia, recordava com clareza. [carece de fontes] Considerava seus atuais familiares, principalmente o pai e os irmãos, como pessoas estranhas, assim como estranhava a casa e a cidade onde morava. [carece de fontes] Em razão desses conflitos, até os dez anos de idade passou a maior parte do tempo na casa da avó paterna.
Aos oito anos de idade, a menina viveu novo episódio de catalepsia. Certa noite, durante o sono, percebeu-se diante de uma imagem do Senhor dos Passos pedindo socorro, pois sofria muito. A imagem, então, animando-se, dirigiu-lhe as palavras: Vem comigo minha filha: será o único recurso que terás para suportar os sofrimentos que te esperam. A menina, aceitando a mão que lhe era estendida pela imagem, subiu os degraus do altar e não se lembrou de mais nada.
Nessa idade teve o primeiro contato com um livro espírita. Posteriormente, aos doze anos, ganhou de presente do pai O Evangelho segundo o Espiritismo e o Livro dos Espíritos. Aos treze anos de idade começou a freqüentar sessões práticas de Espiritismo.
Yvonne Pereira no início da década de 1980, com criança no colo (e que disponibilizou a imagem para uso livre).
Yvonne teve como estudos apenas o antigo curso primário (atual primeiro segmento do ensino fundamental). Devido às dificuldades financeiras da família não conseguiu prosseguir nos estudos. Para auxiliar a família, e o próprio sustento, dedicou-se à costura e ao bordado, e ao artesanato de rendas e flores. Tendo cultivado desde a infância o estudo e a leitura, completou a sua formação como autodidata, pela leitura de livros e periódicos. Aos dezesseis anos já tinha lido obras clássicas de GoetheBernardo GuimarãesJosé de AlencarAlexandre HerculanoArthur Conan Doyle e outros.
A partir dessa idade, fase da adolescência, a mediunidade tornou-se um fenômeno comum para Yvonne, que dizia receber a maior parte dos informes de além-túmulo, crônicas e contos em desdobramento, no momento do sono. A sua faculdade apresentava-se diversificada, tendo se dedicado àpsicografia e ao receituário homeopático, à incorporação, à psicofonia e ao passe, e até mesmo, em algumas ocasiões, aos chamados efeitos físicos de materialização. Dedicou-se à atividade de desobsessão. Atuou em casas espíritas nas cidades de Lavras (MG), Barra do Piraí (RJ), Juiz de Fora(MG), Pedro Leopoldo (MG) e Rio de Janeiro (RJ), onde residiu sucessivamente.
Um dos aspectos mais marcantes de sua atuação mediúnica foi a sua independência, que questionava com fundamento os entraves burocráticos que algumas casas espíritas impõem aos seus trabalhadores. Esperantista atuante, trabalhou na sua propaganda e difusão, através de correspondência que mantinha com outros esperantistas, tanto no Brasil, quanto no exterior.

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org