Noticias do Meio


Estação Espacial vai receber três novos “hóspedes” por 148 dias

ESTAÇÃO ESPACIAL VAI RECEBER TRÊS NOVOS “HÓSPEDES” POR 148 DIAS



Três novos “hóspedes” deverão desembarcar nesta quinta-feira na Estação Espacial Internacional (ISS) para uma temporada de 148 dias na plataforma orbital. Tratam-se dos russos Oleg Novitski e Oleg Tarelkin e do norte-americano Kevin Ford. Enquanto os dois primeiros fazem sua primeira viagem à ISS, o último visita o local pela segunda vez – ele esteve na plataforma em agosto de 2009, quando pilotou a nave espacial Discovery.

Os astronautas foram ao espaço a bordo da nave Soyuz TMA-06M, lançada com sucesso nesta terça-feira, a partir da base de Baikonur, no Cazaquistão. Novitski e Tarelkin realizarão mais de 50 experimentos científicos durante sua permanência na ISS. A tripulação também receberá quatro cargueiros russos Progress e um europeu ATV-4, que levarão oxigênio, comida e combustível.

Atualmente, três tripulantes estão na ISS: a norte-americana Sunita Williams, comandante da missão, o russo Yuri Malenchenko e o japonês Akihiko Hoshide. A ISS é um projeto que reúne 16 países com custo em torno de US$ 100 bilhões.

Assista à decolagem da nave Soyuz TMA-06M:




Artigo relacionado

Nasa

Ação do homem pode ter contribuído para terremoto na Espanha no ano passado

AÇÃO DO HOMEM PODE TER CONTRIBUÍDO PARA TERREMOTO NA ESPANHA NO ANO PASSADO



Pesquisadores espanhóis do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC) e da Universidade Complutense de Madri lançaram um alerta sobre como a ação humana pode influenciar fenômenos da natureza. Os investigadores estudaram o caso do terremoto de 5,1 graus de magnitude que atingiu a localidade de Lorca, no Sul da Espanha, no dia 11 de maio de 2011, e que causou a morte de nove pessoas.

De acordo com os resultados do estudo, divulgado recentemente na revista Nature Geoscience, o movimento da terra pode ter sido causado, ao menos em parte, pela extração de água do lençol freático da região de Alto Guadalentín ao longo das décadas. No local existe uma falha geológica conhecida como Falha de Alhama de Múrcia.

De acordo com o estudo, uma redução no nível do aquífero local pode criar uma pressão na superfície terrestre. Os cientistas, por meio de dados de satélite, descobriram mudanças na crosta terrestre em decorrência da redução de 250 metros no nível do lençol freático.

A pesquisa, realizada a partir de um modelo físico que quantifica as variáveis ​​envolvidas em um terremoto, abre portas para delimitar as estimativas de risco sísmico e tomar medidas preventivas, especialmente no que diz respeito à ação do homem sobre a natureza.

Artigo relacionado

Nature Geoscience

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org