O que ja aconteceu no dia de hoje


MORRE ABU BAKR

23 de agosto de 0634
Abu Bakr foi o sucessor de Maomé (principal profeta do Islã) e portanto primeiro califa (Papa cristão) do Islã, iniciador da série chamada dos califas ortodoxos. Nasceu em Meca, no ano de 573 a. C. e faleceu em 23 de agosto de 634 a. C. Foi comerciante em Meca, e um dos primeiros habitantes da cidade a se converter para a nova religião difundida por Maomé, a quem acompanhou ao exílio (hégira) em Medina. Tornou-se sogro de Maomé ao se casar com sua filha Aisha. Quando o profeta ficou doente nomeou Abu Bakr para conduzir a oração em seu lugar, o que foi interpretado à morte de Maomé como desejo de que Bakr fosse seu sucessor. Assim, em 632 tornou-se na primeira pessoa a ter o título de califa, que significa: "sucessor do Mensageiro de Deus".
Ocorre a Matança da Noite de São Bartolomeu

OCORRE A MATANÇA DA NOITE DE SÃO BARTOLOMEU

23 de agosto de 1572
O assassinato em massa de huguenotes (é o antigo nome outorgado aos protestantes franceses de doutrina calvinista durante as guerras de religião) que teve lugar em Paris em 24 de agosto de 1572, é conhecido como a matança da Noite de São Bartolomeu. Paris era, naquela época, uma cidade decididamente anti-huguenote: os católicos mais extremistas não aceitam de bom grado a presença dos protestantes. A mãe do rei Carlos IX, Catalina de Medici, tentou enfrentar a facção de huguenotes e por isso ordenou a morte de Gaspard de Coligny, dirigente huguenote e conselheiro de seu filho; mas o fracasso de sua conspiração levou a que outros destacados protestantes franceses exigissem uma investigação. Catalina convenceu Carlos IX a mandar matar todos os líderes huguenotes. Coligny se encontrava entre os primeiros caídos. O massacre se estendeu de Paris até as províncias, e provocou o recrudescimento das guerras de Religião. A matança de São Bartolomeu desencadeou uma quarta guerra religiosa.

É FUNDADA A CIDADE DE PORTO ALEGRE

23 de agosto de 1808
No dia 23 de agosto de 1808 era fundada a cidade de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Localizada na margem esquerda do Rio Guaíba, a capital gaúcha é destaque nacional por sua qualidade de vida e aparece no relatório da ONU de 1998, com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre as metrópoles do país com mais de 500 mil habitantes. A cidade também é destaque por ter sido pioneira na implantação dos Conselhos Tutelares e o Estatuto da Criança e do Adolescente. O modelo adotado pela cidade para a realização de coleta seletiva de lixo é exemplo dentro e fora do Brasil. A população da cidade é composta por descendentes de 25 etnias e sua padroeira é Nossa Senhora dos Navegantes.

MORRE DEODORO DA FONSECA, PROCLAMADOR DA REPÚBLICA E PRIMEIRO PRESIDENTE DO BRASIL

23 de agosto de 1892
No dia 23 de agosto de 1892 morria, no Rio de Janeiro, Manuel Deodoro da Fonseca, militar e político, proclamador da República no dia 15 de novembro de 1889 e primeiro presidente do Brasil. 
O motivo da sua morte foi uma forte crise de dispneia (falta de ar).
 
Nascido em 5 de agosto de 1827, em Alagoas, seu governo foi marcado por grande instabilidade política e também econômica. A crise teve seu auge com o fechamento do Congresso Nacional, que resultou na sua renúncia, no dia 23 de novembro de 1891. Seu sucessor foi Floriano Peixoto.
 
A República foi estabelecida em todo o país praticamente sem lutas, com exceção ao estado do Maranhão, onde antigos escravos reagiram em apoio ao Império.
Nasce o escritor Nelson Rodrigues - The History Channel Brasil

NASCE O ESCRITOR NELSON RODRIGUES

23 de agosto de 1912
No dia 23 de agosto de 1912 nascia, em Recife, Nelson Rodrigues, um dos mais impactantes escritores brasileiros e também responsável por uma renovação no teatro brasileiro. Com apenas quatro anos de idade, ele se mudou com a família para o Rio de Janeiro, onde viveu toda a vida.
Aos 13 anos começou a trabalhar como repórter de polícia no jornal do seu pai, “A Manhã”. Por conta deste trabalho, adquiriu grande experiência sobre crimes passionais e também sobre a sociedade. Sua primeira peça foi “A Mulher sem Pecado” (1941), mas o sucesso veio com “Vestido de Noiva” (1943). Apesar da sua popularidade, Nelson Rodrigues também era criticado por escrever textos obscenos e imorais. Em 1962, publicou crônicas esportivas, onde deixava transparecer sua paixão pelo futebol, em especial pelo Fluminense.
Por falar nisso, junto com seu irmão, o jornalista Mário Filho, Nelson foi fundamental para que o clássico Flamengo x Fluminense, o Fla-Flu, adquirisse prestígio e se tornasse um dos grandes confrontos do futebol brasileiro. Entre os personagens fictícios consagrados em suas crônicas estão Gravatinha e Sobrenatural de Almeida.
Assim como seus textos, a vida do escritor também foi marcada por por um crime passional. O jornal “Crítica”, de propriedade da sua família, publicou na primeira capa um relato da separação do casal Sylvia Serafim e João Thibau Jr., ilustrada por Roberto, irmão de Nelson. Por conta dessa matéria, Sylvia, a esposa que se separou do marido, comprou uma arma e foi à redação do jornal, onde atirou em Roberto. Nelson foi testemunha do crime do irmão, que morreu dias depois. A tragédia abalou a família, e o pai de Nelson morreu meses depois. Com a Revolução de 30, “Crítica” deixa de existir e a família mergulha em uma crise financeira.
Nelson passa a sofrer com tuberculose e é ajudado financeiramente por Roberto Marinho, amigo de seu irmão Mário Filho. Em 1932, ele é efetivado como repórter do jornal “O Globo”. A partir da década de 40, divide o seu tempo entre o jornal e a produção de peças teatrais. Em 1945, deixa “O Globo” e vai para “O Jornal”, dos Diários Associados. Começa a escrever “Meu destino é pecar”, com o pseudônimo de Susana Flag. Nelson também começa a escrever a peça “Álbum de família”, que teria o texto censurado em 1946. Na década de 50, transfere-se para o jornal “A Última Hora”, de Samuel Wainer, onde escreve crônicas de “A vida como ela é”. Nos anos 60, forma a primeira “mesa-redonda” sobre futebol televisão brasileira na recém-fundada Rede Globo.
Nos anos 70,  começa a sofrer com problemas de saúde. No final de sua vida, reata o relacionamento com sua primeira mulher, Elza Bretanha, que fica com Nelson até seus últimos dias. O escritor morreu no dia 21 de dezembro de 1980, aos 68 anos, no Rio de Janeiro, por conta de complicações cardíacas e respiratórias.

HITLER E STALIN FIRMAM PACTO ENTRE A ALEMANHA E A URSS

23 de agosto de 1939
No dia 23 de agosto de 1939, o pacto Ribbentrop-Molotov foi firmado, em Moscou, entre a Alemanha nazista, de Hitler, e a União Soviética, de Stalin. O tratado estabelecia cláusulas de não agressão entre os países, o compromisso pela busca de soluções pacíficas entre ambas as nações, a intenção de estreitar os laços econômicos e comerciais e ajuda mútua. O tratado também continha cláusulas secretas nas quais eram praticamente definidas a divisão do oeste e centro da Europa, fixando os limites da influência da Alemanha e da URSS mediante mútuo acordo, determinando que Polônia seria uma "zona de influência", repartida entre ambos os países, enquanto que a Alemanha teria que reconhecer a Estônia, Letônia e Lituânia como "zonas de interesse soviético".
 
Pelo pacto, os países também se comprometiam a fazer uma consulta mútua sobre assuntos de interesse comum e também não poderiam participar de alianças fossem contra algum dos estados participantes do pacto – no caso Alemanha ou URSS. Contudo, no final de 1940, Hitler quebrou o acordo e, em 22 de junho de 1941, as tropas nazistas atacaram, de surpresa, a União Soviética.

NASCE O POLÊMICO ESCRITOR NELSON RODRIGUES

23 de agosto de 1980
No dia 23 de agosto de 1912 nascia, em Recife, Nelson Rodrigues, um dos mais impactantes escritores brasileiros. Quando tinha quarto anos, ele se mudou com a família para o Rio de Janeiro, cidade na qual passaria toda a sua vida. Aos 13 anos começou a trabalhar como repórter de polícia no jornal do seu pai, “A Manhã”. Por conta deste trabalho, adquiriu grande experiência sobre crimes passionais e também sobre a sociedade. Sua primeira peça foi “A Mulher sem Pecado” (1941), mas o sucesso veio com “Vestido de Noiva” (1943), que representou uma renovação no teatro brasileiro. Apesar da sua popularidade, Nelson Rodrigues também era criticado por escrever textos obscenos e imorais. Em 1962, publicou crônicas esportivas, onde deixava transparecer sua paixão pelo futebol, em especial pelo Fluminense.
Junto com seu irmão, o jornalista Mário Filho, Nelson foi fundamental para que o clássico Flamengo x Fluminense, o Fla-Flu, adquirisse prestígio e se tornasse um dos grandes confrontos do futebol brasileiro. Entre os personagens fictícios consagrados em suas crônicas estão Gravatinha e Sobrenatural de Almeida.
Assim como seus textos, a vida do escritor também foi marcada por um crime passional. O jornal “Crítica”, de propriedade da sua família, publicou na capa um relato da separação do casal Sylvia Serafim e João Thibau Jr., ilustrada por Roberto, irmão de Nelson. Por conta dessa matéria, Sylvia, a esposa que se separou do marido, comprou uma arma e foi à redação do jornal, onde atirou em Roberto. Nelson foi testemunha do crime do irmão, que morreu dias depois. A tragédia abalou a família, e o pai de Nelson morreu meses depois. Com a Revolução de 30, “Crítica” deixou de existir, e a família mergulhou em uma crise financeira.
Nelson passou a sofrer com tuberculose e foi ajudado financeiramente por Roberto Marinho, amigo de seu irmão Mário Filho. Em 1932, ele foi efetivado como repórter do jornal “O Globo”. A partir da década de 40, dividiu o seu tempo entre o jornal e a produção de peças teatrais. Em 1945, trocou “O Globo” por “O Jornal”, dos Diários Associados. Começou a escrever “Meu destino é pecar”, com o pseudônimo de Susana Flag. Nelson também começou a escrever a peça “Álbum de família”, que teria o texto censurado em 1946. Na década de 50, foi para o jornal “A Última Hora”, de Samuel Wainer, onde escreveu crônicas de “A vida como ela é”. Nos anos 60, formou a primeira “mesa-redonda” sobre futebol televisão brasileira na recém-fundada Rede Globo.
Nos anos 70,  começou a sofrer com problemas de saúde. No final de sua vida, reatou o relacionamento com sua primeira mulher, Elza Bretanha, que ficou com Nelson até seus últimos dias. Ele morreu no dia 21 de dezembro de 1980, aos 68 anos, no Rio de Janeiro, por conta de complicações cardíacas e respiratórias. 

0 comentários:

Postar um comentário

Labels

Aurora Boreal/Grupo C.E. Tecnologia do Blogger.

Mapa

Free Visitor Maps at VisitorMap.org